Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

07 janeiro 2016

O Tutto o Niente [Ou Tudo ou Nada] Especial Brasil

Ou Tudo ou Nada (1968)
O Tutto o Niente - Itália  
A Man Called Amen - USA
Either All or None - USA 
To Ximeroma tis Megalis sfagis - Grécia   

Direção: Guido Zurli      
Escrito: Franco Bucceri, Renato Izzo e Guido Zurli
Produção: Itália 05 de julho de 1968
Produção: Aldo Ricci
Música: (Gatto Terry e Gino Peguri)
"Song of the Cowboy" interpretada por Peter Boom.  
Fotogafia: Guglielmo Mancori  
Edição: Romeo Ciatti     
Decoração do Set: Aldo Marini
Co Produção: Selenia Film Distribuzione e Tirrenia Film
Duração: 98 minutos

Akim Tamiroff - Pigsty/Dean Light/Tulsa/Puzza
George Ardisson - Amém/Johnny
Isarco Ravaioli - Solitario/Jogador/Agente Pinkerton
Lorenza Guerrieri - Muriel
Paolo Carlini - Buseba
Calisto Calisti - Johnny Siringo
Fred Coplan - Ernesto/Brody
Giovanni Ivan Scratuglia - Popular
Mara Krupp - Millie
Amerigo Castinghella - Capanga de Buseba
Piero del Papa Gangue de Ernandes com Poncho
e com Attilio Severini, Giorgio Viviani e Gippo Leone.  


Outro Eurowestern raro e pouco conhecido e só exibido no cinema por aqui.
Em 1870, um carregamento de ouro no valor de um milhão de dólares extraído das minas Middleton Company de propriedade do Sr. Lou é transportado para outra cidade por uma guarnição do Exército e consequentemente é atacado em uma emboscada armada por Buseba e seu bando de assassinos mexicanos que agem no lado americano da fronteira.

Após investigações do governo que não deram resultado em encontrar o ouro roubado, surge um jogador "Solitário" que faz uma sociedade com "Amém" [um pistoleiro que faz a oração: "Em nome do pai, do filho, e do espírito santo, Amém" antes de matar seus opositores], para juntos roubarem o ouro que supostamente esteja na fortaleza de Buseba.


Todo o plano inteligente é traçado por Solitário com a porcentagem de 20% do ouro para Amém se o plano der certo. A princípio o Solitário apresenta-se como Agente da Pinkerton mas na realidade é um mercenário que tentará ficar com todo o ouro para si.

Como Amém está muito popular na região por suas mortes e o premio por sua cabeça ser alto, o Solitário forja a sua morte em um duelo com um pistoleiro famoso, Johnny Siringo que é pago para fazer a simulação. Após o sepultamento simbólico de Amém, os dois, Amém e Solitário chegam a cidade, agora ambos com suas identidades desconhecidas para colocarem o seu plano em prática.


O Solitário tem uma mulher "Muriel", a bela atriz (Lorenza Guerrieri) infiltrada na quadrilha de Buseba e ele tem também um espião e informante no saloon, o bêbado e vagabundo "Tulsa", o ator russo Akim Tamiroff [ o General Romero em “100 Rifles” (1969)],

Akim é o ator mais famoso do elenco que na verdade é o pistoleiro famoso e aposentado "Dean Light". Com todas as suas peças colocadas em seus locais, o plano é descobrir onde Buseba esconde o ouro, mas para isso terão muito trabalho e muitas mortes além das cruéis torturas de Buseba à Amém e ao Solitário quando capturados.

Após todas as ideias do grupo fracassar eles chantageiam Buseba em ajudá-lo a levar o seu ouro para o México, plano que Buseba nunca conseguiu realizar sozinho e ele não consegue gastar a sua fortuna na América.


Sempre que algo dá errado para Amém, ele é ajudado por "Atirador Misterioso". O plano fica difícil de ser realizado pelo grupo de sócios, pois Buseba conta também com a ajuda de um velho xerife aloprado que trabalha forçado e sob o domínio de Buseba.

O curioso neste roteiro é a atuação de um "atirador fantasma". Suas aparições fazem com que os planos de Buseba (Paolo Carlini) nunca dêem certo. Esse atirador secreto também foi abordado no filme "Matalo!" (1970). Agindo sempre escondido em que ninguém sabe de onde veio o tiro.
O filme possui cenas em situações divertidas com inúmeras reviravoltas principalmente no final. "Ou Tudo ou Nada" é um Espaghetti Western pouco conhecido, mas merece um destaque pelo seu curioso roteiro no qual o torna muito agradável, simplesmente por isso.


Todos os personagens aqui tiveram seus nomes fantasiados para talvez num futuro remoto virem a rodar uma sequência com eles usando o personagem “Amém”, pois existiram: Aleluia e Espírito Santo e até mesmo Jerusalém no Espaghetti.

Houveram outras sequências com o personagem Amém mas este foi com com o ator Antonio Sabato.

George Ardisson aqui é Johnny também conhecido como "Amém" é um caçador de recompensas que também tem sua cabeça a premio por $ 2.000 dólares.

Isarco Ravaioli é "Solitário", um Agente da Pinkerton disfarçado de Jogador, Akim Tamiroff é Dean Light "Tulsa", é o bêbado do saloon que se revela um dos maiores pistoleiros do Oeste e Calisto Calisti é Johnny Siringo, outro pistoleiro famoso que só aparece para forjar a morte de Amém.

Amém, Solitario, Dean Light, Johnny Siringo são personagens interessantes que são conduzidos em tom de leve comédia e principalmente quando surge um outro personagem que rouba algumas cenas; o mexicano Ernandez "montanha de gordura" (Fred Coplan) que lembra um pouco Fernando Sancho em suas performances confusas e bem humoradas como líder de sua gangue de malfeitores.


Uma cena de suspense com a câmera em Zoom no estilo "Leone" fechada nos olhos dos atores em um jogo de cartas com a música bem sincronizada é muito boa e Amém é salvo de ser executado pelo mexicano Ernandes com a chegada de "Horatio", um mascate na cidade anunciando em voz alta as suas ofertas que acabara de trazer de Boston. Ernandes ironicamente exclama: "Até parece que vocês combinaram isso!"

A troca da mulher de Buseba "Muriel" pelo "Sólitário" de posse de Amém, é também uma cena bem criativa em que ambos os lados dizem estarem desarmados mas as armas estão estrategicamente escondidas entre eles e num duelo Amém é mais rápido contra os três bandidos e por fim contra Ernandes que tenta sacar de uma faca no estilo "Cuttilo" [La Resa Dei Cont] (O Dia da Desforra - Brasil) eliminando assim quatro bandidos da gangue de Buseba e libertando a refém Muriel.


Engraçado também é o barbeiro afeminado e medroso fazendo a barba do chefe vilão, Sr. Buseba.
Uma breve e curiosa participação de Mara Krupp aqui em seu quarto Western (Por Uns Dólares a Mais - Brasil) [1965] em uma dança no saloon. Mara Krupp atuou em sete Espaghetti Westerns e pouco se sabe sobre ela.

Dentre os seus 43 trabalhos para o cinema e TV, Guido Zurli escreveu "O Último dos Vikins" (1961), "Cem mil Dólares para Ringo" (1965), “O Filho do Zorro” (1973), e “Zorro, O Justiceiro Mascarado” (1968). Filmou um reconhecido policial "Target" (1979), um bom terror "The Mad Butcher" (1971) estrelado por Victor Buono. Dirigiu “Thompson 1880” (1966) com George Martin e Gordon Mitchell sob o pseudônimo de Albert Moore.

Outra grande curiosidade neste filme é a presença de um pugilista italiano campeão do mundo.

Pierluigi Del Papa [Piero/Pedro Del Papa] nasceu na província de Pisa, e é conhecido por sua carreira no boxe, mas também por desempenhar papéis de alguma importância em alguns filmes.

Em 1960 ele ganhou o título nacional de amadores e mais tarde foi chamado por Steve Klaus para os XVII Jogos Olímpicos em Roma. Profissional desde 1960, em 1962 ganhou o título italiano de campeão meio-pesado, ocupando até 1964.


Em 1966, ele também ganhou o título europeu, sempre meio-pesados, lutando em Roma contra Giulio Rinaldi.
 

Ele manteve o título europeu, para o qual ele lutou 11 vezes (7 vitórias), até 1967, então reconquistando-o em 1970 e perdendo-o pondo o título em jogo em 1971 em Caracas para o campeão mundial Vicente Rondon, sendo nocauteado no 1º round.

No cinema ele também trabalhou com Bud Spencer em dois filmes: “Chamavam-lhe Bulldozer” (1978) e “Bomber” (1982).
No final dos anos oitenta ele fundou uma escola de boxe localizado em um pavilhão desportivo de Pisa, na época estava abandonado e funcionou até 1998 pois não conseguiu mais administrar.
 
Além de atuar aqui em “Ou Tudo ou Nada” como um dos membros da perversa gangue do mexicano Ernandes trajando um poncho mexicano, também atuou no Western “Vivo o, Preferibilmente, Morti” (1969) ao lado de Giuliano Gemma, além de ter atuado em filmes de outros gêneros.


Existem rumores de que o filme não foi totalmente rodado nos estúdios em Tirrenia onde Demofilo Fidani rodou muitos de seus filmes na Itália e sim em fazendas de agricultores da região.

Provavelmente este Western foi o melhor do director Zurli, que tem uma história simples, atraente, emocionante e que demonstra boa habilidade com a câmera em enquadramentos diferentes e bem elaborados de baixo para cima, deixando aquela impressão de submissão, travelling laterais e o zoom sem exagero dando suspense à situação.

No mesmo ano 1968 após George Ardisson deixar essa frase marcante nesse filme; “Em nome do pai, do filho e do Espírito Santo, Amém!”, dois meses depois ele estaria com seu mais novo bordão em Cjamango; “Peça Perdão a Deus, não a mim”, sob a direção de Vincenzo Musolino.

Infelizmente não existe um CD da trilha sonora que é muito boa principalmente pela música vocal "Song of the Cowboy" composta pelo cantor italiano Gino Peguri, muito bonita e interpretada pela voz poderosa do cantor de descendência italiana e americano, Peter Boom.
Exibido nos cinemas mas inédito na TV Brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: