Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Links de Filmes-Subtitles/Legendas.

16 outubro 2020

Desafiando o Destino (Thousand Pieces of Gold - USA/UK 1990) Subtitle/Legenda PTBR/INGLÊS SRT exclusiva Brasil


Thousand Pieces of Gold - USA/Canadá/França/Alemanha/UK 
Desafiando o Destino - Brasil 
Mil Monedas de Oro - Espanha 
Dyrare än Guld - Suécia 
 
Produção: USA, UK, 30 de Abril de 1990 
Diretor: Nancy Kelly 
Escrito: Ruthanne Lum McCunn e Anne Makepeace 
Música: Gary Remal Malkin 
Fotografia: Bobby Bukowski 
Duração: 105 minutos 
Edição: Kenji Yamamoto 
Locações: Butte, Montana, USA Co 
Produção: American Playhouse, Channel Four Films e Filmcat 

Elenco:
Rosalind Chao - Lalu/Polly
Chris Cooper - Charlie Bemis
Michael Paul Chan - Hong King
Dennis Dun - Jim
Jimmie F. Skaggs - Jonas
Will Oldham - Miles
David Hayward - Ohio
Beth Broderick - Bertha
Kim Chan - Li Ping
Weili Fan - Sayan
Evan C. Kim - Shun Lee
Freda Foh Shen - Ah Ling
John M. Hosking - Watkins
Mary Matvy - Françoise
A.J. Kallan - Parker
Mary Beth Lee - Li Yuan
Jianli Zhang - Chen
Ron Dorn - John Span
George Cheung - Lung On
Gordon Malis - Minerador
Saachiko - Li Ma
Brien D. Sankey - McFee
Danny Wong - Comprador
Kerry Yo - Soldado
Gu Xing Zhong - A Cai
e com Donny Glade 
 

Na China de 1880, a jovem Lalu (Rosalind Chao) é vendida pelo seu pai para se tornar esposa de alguém longe de suas terras. A venda de sua filha em meio ao desespero de seu pai tem como motivos um período sombrio de falta de chuvas, rebeliões, saqueadores e pobreza extrema principalmente aos povos do Norte. 

 


Em vez de se tornar uma noiva na China, Lalu por meio de traficantes de imigrantes, acaba tendo como destino uma cidade de mineração de ouro em Idaho de propriedade de um chinês dono de um saloon que muda o nome da chinesa Lalu para Polly e planeja ganhar dinheiro com ela como entretenimento e prostituição aos habitantes em que sua maioria são de mineiros e delinquentes locais. 
 

Recusando-se a se tornar uma prostituta, Lalu finalmente encontra seu próprio caminho neste país estranho cheio de demônios brancos, preconceitos e injustiças típicas de relacionadas à movimentos de povos imigrantes. 
 
Um testemunho da força do espírito humano de uma jovem chinesa em um mundo totalmente estranho para ela. Um filme western atraente a cada cena visualizada. Rosalind Chao e Chris Cooper ganhariam um Oscar mais tarde por apresentarem ótimas performances sobre o poder do amor e da redenção. O relacionamento deles sendo lentamente construído em um mundo hostil com seu desfecho discreto e muito poderoso. 
 

A coragem, força e inteligência de Lalu, a mulher chinesa bem como sua sensual beleza exótica, são inspiradoras. Como Cooper (Charlie Bemis), dá um belo retrato de um homem decente, embora imperfeito e que triunfa no final. 
 
Um verdadeiro clássico dos clássicos contemporâneos. "Thousand Pieces of Gold" também sofreu muito preconceito em conseguir patrocínio, pois ninguém acreditava que um western nos tempos de hoje dirigido por uma mulher daria certo. 
 

A diretora Nancy Kelly disse em entrevista que quando leu “Thousand Pieces of Gold”, imediatamente o viu como um filme. Disse ela: Adorei a história de uma mulher chinesa no oeste americano, uma forasteira como eu e igualmente durona. 
 
Em seu livro, Lum McCunn retratava uma jovem chinesa chamada de “Lalu”, cujos pais desesperadamente pobres a vendem como escrava. É baseado em uma história verdadeira, e descobri que havia muitas Lalus, embora poucas vencessem seus escravistas. 
 

Como minha própria luta para ser aceita como fazendeira como fui, eu queria celebrar a coragem de Lalu na tela grande, apenas como nos westerns que há muito sempre admirei, embora quase todos dirigidos por homens, meus favoritos apresentem mulheres como protagonistas: "Destry Rides Again", "Johnny Guitar", "The Big Country", "The Outlaw". Incluindo Dorothy Arzner, Lois Webber e Grace Cunard que também dirigiram Westerns, mas poucos deles sobreviveram. Evidência de quão pouco eles eram valorizados. 
 

Durante os seis anos que passei financiando o filme com Kenji Yamamoto, meu marido e parceiro de cineasta, eu encontrei muito sexismo e eu nunca tive apoio em Hollywood. Kenji e eu tínhamos que nos tornar independentes. 
 
Encontramos nossos primeiros investidores na área da Baía de São Francisco. Pela primeira vez, eu não tive que lutar contra o chauvinismo de ninguém. A equipe inteira ainda parece uma família: Rosalind Chao, Chris Cooper, Michael Paul Chan, Will Oldham, e o resto do nosso elenco e equipe técnica era fantástico. 
 

Depois do lançamento de "Desafiando o Destino", recebi críticas extraordinárias dos críticos, alguns dos quais compararam meu talento ao de John Ford. Meu agente marcou muitas reuniões, mas me tornei vítima de preconceito. Um produtor me disse sem rodeios: "Você é um bom diretor, que pena que você é uma mulher." 
Faço parte de um grande grupo de mulheres que nunca fez um segundo longa. Nós temos belas histórias para contar, convide-nos para ir ao seu escritório e contaremos tudo sobre elas. 
 

Este filme fantástico após 30 anos recebeu agora uma remasterização Bluray com a tecnologia 4K digital que o torna agora ainda mais fantástico e que atualmente pode ser visto em cinemas virtuais via Kino Marquee. 
 
Percebendo que nesta restauração existe uma grande parte do filme com linguagem original em chinês com legendas em inglês fixas, também às traduzi para o português tornando uma legenda/subtitle SRT totalmente traduzida para que o filme possa ser apreciado por vários idiomas através de um tradução automática. 

Link Filme disponível no Youtube 25 fps MP4
https://www.youtube.com/watch?v=JjuBOOl5EEo&t=3459s 

Link Filme disponível no Torrent 23.976 fps Bluray 4K
https://zooqle.com/thousand-pieces-of-gold-1990-720p-bluray-h264-aac-rarbg-xsv92.html


05 outubro 2020

Toña Machetes (México 1985) Inédito Brasil * Subtitle/Legenda PTBR SRT exclusiva Brasil



Toña Machetes - México 
Toña Machetes - Brasil

Produção: México, 31 de Janeiro de 1985 
Direção: Raúl Araiza 
Escrito: Raúl Araiza, Edmundo Báez, Ricardo Garibay 
Baseado na novela de Margarita López Portillo 
Fotografia: José Ortiz Ramos 
Música: Guillermo Méndez Guiú 
Duração: 113/122 minutos 
Produção: Sonia Infante 
Co Produção: Producciones Pedro Infante 
Locações: Hacienda de San José del Refugio, en Amatitán, Jalisco, Mexico 
Edição: Joaquín Ceballos 
Direção de Arte: David Antón 


Elenco: 

Sonia Infante - Toña/Antonia Romero/Menina 
Andrés García - Don José Maria 
Ignacio López Tarso - Gerónimo Romero/Pai de Antonia 
Sergio Jiménez - Ermenenciano 
José Carlos Ruiz - Filigonio 
César Adrian Sanchez - Manuelito 
Com Tito Junco, Hernando Name e Chema' Hernandez 


Uma preciosidade do cinema mexicano aos fãs de Westers. 
Tudo neste filme é minuciosamente muito bem elaborado. 
Uma fotografia esplêndida e incrível, vestuário impecável, atuações deslumbrantes, a ação, suspense, drama, aventura, música, tudo dosado perfeitamente ao seu tempo.


O surgimento de uma criança em sua fazenda, supostamente do relacionamento de seu ex-marido com uma prostitua mudará totalmente a sua vida. 

No início o filme parece um pouso complicado de se entender a trama, mas logo após aos Flash Backs de Antonia sobre sua vida mas com uma bela edição começamos a perceber a história se encaixando sobre os fatos. 


Imperdível para estudiosos, historiadores, cinéfilos que gostam de analisar coisas novas no Western. Uma jóia do cinema mexicano que mostra também grande parte de sua cultura e todos poderão perceberão isso durante o filme. 


Com minhas pesquisas este filme passou despercebido no Brasil no ano de seu lançamento, considerado portanto inédito por aqui. Uma edição em Blu-Ray e DVD deste filme completo foi lançado algum tempo depois. 


Andrés García revelou durante una entrevista, haver tido relações sexuais com a atriz Sonia Infante, em plenas filmagens de Toña Machetes, mas nada comprovou o seu inoportuno comentário.


Viúva do produtor Gustavo Alatriste e sobrinha do ídolo Pedro Infante reconhecida como uma mulher de caráter faleceu aos 75 anos e dedicou sua carreia às telas mexicanas, interpretando alguns papeis no cinema que lhe valeram o reconhecimento do público, dentre eles filmes como “Alma Rosa Camacho” e “El Sol de México”. Grande mulher, artista, esposa, mãe, era irmã do ator e cantor Antonio Infante, ambos ícones do cinema mexicano. 


Gosto muito deste filme mas percebi que não havia uma subtitle/legenda com idioma português, portanto decidi elaborar uma tradução do espanhol e disponibilizar aos seguidores e amigos deste blog para o idioma português srt. Seus comentários serão bem-vindos. 

https://www.youtube.com/watch?v=Nvay11RrZy0

Subtitles str

 

Ilustração Fantasia

26 setembro 2020

Taberna dos Proscritos "Border River " (USA 1954) Subtitle/Legenda Inédita PTBR SRT exclusiva Brasil


Taberna dos Proscritos - Brasil
Border River - USA/Canadá/UK 
Río Fronterizo - Espanha 
La Fine di un Tiranno - Itália 
Die Teufelspassage - Alemanha 
Hombres sin Bandera - Argentina/Chile 
Die Teufelspassage - Áustria 
Zone Libre - Belgica 
Rajajoki - Finlândia 
Les Rebelles - França 
Kataskopoi Tou Rio Grande - Grécia 
Vadnyugati Vadorzók - Hungria 
Zona Livre - Portugal 
Riu de Frontiera - Romênia 
Bortom Lagens Gränser - Suécia 
Granicna Reka - Iuguslávia


Produção: USA, Janeiro de 1954 
Direção: George Sherman 
Escrito: William Sackheim e Louis Stevens 
Fotografia: Irving Glassberg 
Música: William Lava, Henry Mancini e Herman Stein 
Duração: 80 minutos 
Locações: Universal Studios, 100 Universal City Plaza, Universal City, California, USA 
Co Produção: Universal International Pictures (UI) 


Joel McCrea - Clete Mattson 
Yvonne De Carlo - Carmelita Carias
Pedro Armendáriz - General Eduardo Calleja
Alfonso Bedoya - Capitão Vargas
Howard Petrie - Newlund
Renate Hoy (Erika Nordin) - Annina Strasser
George J. Lewis - Sánchez
Nacho Galindo - Lopez
Ivan Triesault - Barão Von Hollden
George Wallace - Fletcher
Lane Chandler - Anderson
Martin Garralaga - Guzman
Joe Bassett - Stanton
Salvador Baguez - General Robles
Felipe Turich - Pablo
Emile Avery - Soldado Mexicano
Fred Beir - Tom Doud
Ray Beltram - Barfly
Orlando Beltran - Tenente de Calleja
Eumenio Blanco - Barman
Zarco Carreno - Luis
Bob Hoy - Sargento Johnson
Robert Tafur - Telegrafista
Britt Wood - Bêbado


No México, durante a guerra entre Maximilliano e Juarez em 1865, existia um pequeno território do lado mexicano do Rio Grande conhecido como "Zona Libre". 

Era dominado por um homem conhecido como General Eduardo Calleja (Pedro Armendariz) e ele abrigava qualquer homem fora da lei em seu refúgio disposto a pagar por isso. 

 Clete Mattson (Joel McCrea), um comandante do exército americano confederado recém chegado ao lugar, tem dois milhões de dolares em ouro para comprar armas para suas tropas confederadas a fim de reverter uma provável derrota local. 


Ele também conta com a ajuda de um agente federal disfarçado e ifiltrado em Zona Libre. A princípio ela não sabe em quem confiar no local. Obviamente não em Calleja, mas talvez na adorável americana dona da taberna local "El Gallo", Carmelita. 

Talvez por isso a tradução ao título do filme no Brasil. Em meio a toda a trama, desenvolve-se um triângulo amoroso entre Mattson, o General Calleja e a atraente Carmelita. O general pensa que ela é sua propriedade, mas Carmelita dá mostras de estar atraí­da por Mattson. 


Enquanto isso, o México quer de volta suas terras e apesar de toda a ideologia pelo México, o general Calleja pretende ficar com todo o ouro para ele. 

É um Western clássico americano com o casal McCrea, Yvonne De Carlo que trabalhou em cinco filmes com o diretor George Sherman e este foi o último com ele. Alfonso Bedoya e Pedro Armendariz estão bem em seus papeis de rebeldes mexicanos.

Um belo naipe de paisagens panorâmicas com ação em boa dose nas locações no estado de Utah e nas desérticas regiões de Morelos, no México. 


Sherman sempre gostou de temática mexicana e isso faz dele um diretor diferente com uma queda para isso. Podemos notar nitidamente isso também em "O tesouro de Pancho Villa". Dá a impressão de ser um genuíno Espaghetti Western. Elaborei uma legenda/subtitles no idioma português para que os fãs de todo o mundo possam baixá-la, traduzi-la e anexar ao filme.  

“Taberna dos Proscritos 1954) Subtitles/Legendas Inéditas PTBR SRT para versão com áudio original Inglês * Download”

Link do filme:

 https://ok.ru/video/1077551958708

Ilustração Fantasia

24 setembro 2020

Mercenários da Morte "Mercenarios de la Muerte " (México 1983) Subtitle/Legenda Inédita PTBR SRT exclusiva Brasil


Mercenários da Morte - Brasil 
Mercenarios de la Muerte - México 
Mercenaries of Death - Título Inglês 
Produção México, 1983 
Direção: Gregorio Casal e Manuel Muñoz 
Escrito: Avinadain Bautista Nájera 
Fotografia: Ángel Bilbatúa e Fernando Colín 
Duração: 90 minutos 
Edição: Francisco Chiu 
Efeitos Especiais: Arturo Godínez 
Co Produção: Xochitl S. A. de C. V. 
 
Elenco: 
Emilio Fernández - Mestre Tata 
Gregorio Casal - Mai Ko 
Jaime Moreno - Yan Piau/Chang 
Armando Silvestre - Sung Ya 
Rubi Re - Gina 
Tito Junco - Pai de Mai Ko 
Víctor Junco - Comissário Raul 
Sergio Bustamante - Kan Jen/Él Verdugo/Mercenário 
Rosario Granados - Mãe de Mai Ko 
Aries Bautiasta - Mestre Jin Ho 
Ramiro Orci - Andrés El Callado/Mercenário 
Toño Infante - Mai Tahy/Traidor 
E com Fernando Yapur, Leo Villanueva e Agustín Fernández. 


Kun Fu e Western se fundem nessa exótica aventura do cinema B mexicano, nunca exibido no Brasil e que presto minha homenagem aqui nesse espaço dedicado ao Western produzido em todas as partes do mundo. 

"Mercenários da Morte" conta a história de um grupo de monges orientais da milenar dinastia Mingfu Su, do antigo templo de Shio Lang Su, que depois de uma grande guerra contra a seita do Dragão Negro, foram forçados a migrar para longe de suas terras, levando suas valiosas relíquias e tradições para uma pequena cidade no norte do México. 

Os anos passaram-se e os monges vivem em relativa paz, tornando-se uma parte importante da comunidade e estabelecendo uma escola onde eles ensinam suas artes marciais, porém, com a chegada do século 20, uma nova ameaça paira sobre os monges, como o mercenário Sung Ya (Armando Silvestre), discípulo do Dragão Negro, que reuniu um grupo de guerreiros de diferentes partes do mundo para destruir os monges e saquear as valiosas relíquias deste novo templo. 


Aparentemente, vários anos ou séculos se passaram, e Jin Ho, o herdeiro de Minfo Sin, se estabeleceu em uma cidade que parece ser um cenário do oeste do extinto American Studios, graças à ajuda do sábio filósofo conhecido como Tata ou Mestre supremo (Emilio Fernández), porque ninguém tem autoridade suficiente para chamá-lo pelo nome. 

Não sabemos onde está localizado este lugar, mas a verdade é que seus habitantes falam muito bem o chinês e as autoridades mexicanas dizem que são muito boas pessoas e por isso devem garantir sua segurança. 

O venerado professor Tata (Emilio Fernández) sabe do perigo, e pede ao Mestre Jin Ho (Aries Batista) para escolher os alunos mais avançados para defenderem o templo dos implacáveis sanguinários de Sung Ya. 


A tarefa caberá aos jovens Mai Ko (Gregorio Casal) e Chang Piau (Jaime Moreno), que deverão enfrentar os mercenários da morte. 

Gina, interpretada por Rubí Re, irmã de Mai Ko, também ajuda na luta contra a invasão dos assassinos. Armando Silvestre com os bigodes de Fu Man Chu interpreta bem o líder e fanático mercenário ajudado por sua gangue que entre eles estão: 

Esteban Chacal Ramirez, Andrés o Calado, Cochilio Blas, Angel o assassino, La Crooper, traidor e assassino, Kun Won, Mai Thay, La Katana, e Yen Ko o Chaco mortal. Um bando verdadeiramente temível prestes a destruir tudo em seu caminho. 


Com a estreia de "Enter the Dragon" em 1973, o mundo descobriu o grande talento do artista marcial Bruce Lee. Sua morte trágica ocorreu apenas seis dias antes do lançamento do filme (o primeiro de Lee para um estúdio americano), tornou-se uma verdadeira lenda do filme de ação.

O enorme sucesso mundial de "Enter the Dragon" resultaria em uma febre pelas artes marciais que se refletiram num grande número de filmes de artes marciais que começaram a ser produzidos não só em Hong Kong, mas em todo o mundo. 

Na Itália o destaque ficou para “Shangay Joe” e “O Dragão Chinês e o Pistoleiro”. No entanto, as tentativas de entrar no gênero foram estranhas e bizarras em muitos casos: na Inglaterra os Estúdios Hammer produziria um kung fu intitulado "A Lenda dos Sete Vampiros Dourados" (1974), enquanto na Espanha os irmãos Calatrava misturariam comédia em "Los Kalatrava Contra el Empio del Karate" (1974). 


No México, o lutador mascarado Santo participaria de "La Furia de los Karatekas" e "El Punho de la Muerte" (ambos em 1982), mas o filme mexicano mais extravagante de artes marciais seria lançado no ano seguinte, sob o nome de "Mercenarios de la Muerte".

Como pode ser apreciado pelo enredo, "Mercenaries of Death" teve a pretensão de fazer uma mistura entre o cinema de arte marcial e o Western. Embora pareça estranho a ideia de misturar esses gêneros não é totalmente irracional, já que o cinema de artes marciais moderno que surgiu com Bruce Lee se baseou diretamente em arquétipos clássicos e na história do Oeste. 

O roteiro de "Mercenários da Morte", escrito por Avinadain Bautista, não apenas leva elementos asiáticos e literalmente coloca seus monges orientais em uma pequena cidade no oeste selvagem. A história tem pretensões de um grande épico, com a chegada de Sung Ya obrigando os monges a se prepararem para a defesa da cidade que lhes deu asilo. 


No entanto, ao criar este híbrido de faroeste e artes marciais, Avinadain Bautista opta por explorar os velhos clichês de ambos os gêneros, diluindo o épico da história em longas cenas de treinamentos marciais, diálogos supostamente filosóficos e lutas pobres e rudimentares como uma delas na cantina, esquecendo-se de desenvolver o drama de seus personagens, que são estereótipos ambulantes. 

Mas, embora o roteiro seja de qualidade bastante regular, o filme poderia ter resultado bem mais interessante se não fosse a direção desastrosa de Manuel Muñoz e Gregorio Casal. 

 Rodado em locações de sets esquecidos daqueles faroestes mexicanos da década de 70, isso não seria um grande problema se não fosse pela simples câmera sem efeitos visuais e que tornam a falsidade do cenário mais perceptível. 


Da mesma forma, o desempenho das lutas foi filmada de uma forma que suas deficiências não puderam ser disfarçadas e é claro que muitas vezes percebe-se o não contato entre os atores também devido a posição incorreta da câmera. Os atores que lutam parecem evocarem o espírito de Bruce Lee através de gritos de gato e golpes mortais no peito de seus adversários. 

A fotografia, dos veteranos Fernando Colín e Ángel Bilbatua, muito fraca com iluminação totalmente deficiente e enquadramentos desfocados e fora de quadro. 

A atuação do veterano ator Emilio Fernández como o mestre Tata (monge de Shio Lang) vestido de sombrero mexicano, menciona suas falas severamente, embora ocasionalmente haja vislumbres do talento e carisma do velho ator. 

Os protagonistas Jaime Moreno e Gregorio Casal fazem talvez o pior filme de suas carreiras. Dificilmente encontraremos algo para salvar neste estranho filme de artes marciais em que incongruências e as inconsistências são constantes. 


Talvez seja a grande engenhosidade com que parece que foi realizado, dado o quão implausível é em muitas ocasiões. Em outras palavras, a verdade é que, sem querer, "Mercenaries of Death" é uma grande comédia de erros bastante surreais. 

Dentro das centenas de filmes de artes marciais feitos com o sucesso de Bruce Lee, "Mercenaries of Death" é sem dúvida um dos mais bizarros e mal executados de todos os tempos. 

Apesar de ser um dos maiores desastres do cinema mexicano, "Mercenarios de la Muerte" tem um estranho carisma. Talvez seja o fato de que é incomum ver uma fita de artes marciais feita no México, ou ver grandes atores da velha guarda (Fernández e os irmãos Víctor e Tito Junco) envolvidos em um projeto tão problemático como este. 

Apesar de suas deficiências, esse filme possui o seu carisma é inexplicável com o seu humor involuntário e estranho e dá para se divertir muito assistindo-o. 

Este filme é uma autêntica jóia do cinema trash, imperdível para quem se diz fã do cinema B mexicano e da história do Western no cinema mundial.


                                                                                  Trailer  

Link do filme: 
https://www.youtube.com/watch?v=z7CSUtKhMuw

 
Ilustração Fantasia
 

18 setembro 2020

40 Túmulos para 40 Rifles "Machismo: 40 Graves for 40 Guns" (USA 1971) Subtitle/Legenda Inédita PTBR SRT exclusiva Brasil


40 Túmulos para 40 Rifles - Brasil 
The Revenge of the Wild Bunch - USA 
Machismo: 40 Graves for 40 Guns - USA 
Machismo - 40 Gräber für 40 Gewehre - Alemanha 
Forty Graves for Forty Guns - USA Machismo - Holanda 

Produção: USA, 01 de Julho de 1971 
Direção: Paul Hunt 
Duração: 95 minutos 
Produção: Ronald Víctor García 
Poster do filme: Robert Tanenbaum 
Chuy Franco - Cantor do temas mexicanos 
Locações: Hopetown, Yosemite Valley, Yosemite National Park, California, USA
Co Produção: Boxoffice International Pictures (BIP)  

Elenco:
Robert Padilla - Hidalgo
Gregory Sierra (Dirk Peno) - Lopez
Federico Gómez (Federico Gomez) - Vicente
Louis Ojena (Lou Ojena) - Fernandez
Jose Jasd - Rodriguez
Chuy Franco (Chuey Franco) - Garcia
Ron Castro (Ronald Castro) - Juarez
Stanley Adams - Granger/Ferreiro
Mike Robelo - Capitão Ramirez
Bruce Gordon - Burt/Dono da Loja
Nancy Caroline - Louise/Dona do Bar
Sue Bernard - Julie
Royal Dano - Zach/Bêbado
Leslie York - Ruby
Rita Rogers - Lil
Liberty Angelo - Dugan
Lilyan Chauvin - Kate
Patti Heider - Phyllis
Noble 'Kid' Chissell (Kid Chissell) - Doc/Médico Bêbado
Ferdinand Zegel - Minerador
Sean Kenney - Wichita
Joe Tornatore - Jake
Gary Kent - Jim Harris
James Lemp - Ed Harris
Gary Graver - Tim Harris
Randy Starr - Roper
 

Nunca exibido no Brasil, raríssimo Western com ritmo acelerado e violento, este faroeste ambientado na fronteira do México com os Estados Unidos narra a luta sangrenta para defender pessoas inescrupulosas que não merecem ser salvas da morte por uma gangue assassina de quarenta bandidos.

Um grande Western! Feito quase na época do "Wild Bunch” [Meu Ódio Será Tua Herança - 1980 de Sam Peckinpah], com um roteiro que lembra muito: "Seven Samurai” [Os Sete Samurais - 1954 de Akira Kurosawa] ou "The Magnificent Seven” Sete Homesn e um Destino - 1960 de John Sturges. 

O mais curioso é que o experiente diretor Paul Hunt, inverteu os personagens e os heróis aqui são sete mexicanos que chegam a uma cidade americana na fronteira mexicana cheia de fanáticos e solitários personagens problemáticos. 

A permanência destes sete bandidos pistoleiros e ladrões fazem parte de um acordo com o capitão Federale Ramirez do exército mexicano para capturarem a gangue assassina dos irmãos Harris, outros três bandidos mas americanos que saquearam e aterrorizaram vilas no México, barbarizaram uma igreja de Tecate, mataram os padres e também roubaram a Cruz de Ouro de Santo Agostinho, uma relíquia. Dentre as seis pessoas mortas mencionadas pelo capitão estão sua esposa e dois filhos. 

O capitão Federale designado para capturar a gangue de Harris percebe que ele está lidando com monstros e que para pegá-los ele deve combater fogo com fogo, portanto faz um acordo com um outro notório vigarista ladrão com a promessa de perdão das autoridades mexicanas por seus delitos e de seus seis homens se eles forem bem sucedido fazendo o serviço pegando os Harris vivos ou mortos. 

No acordo também inclui uma grande recompensa em dinheiro aos sete homens. A anos a gangue de Harris usa a cidade como seu esconderijo privado abusando das garotas e todos os habitantes da cidade são intimidados a acompanhá-los sob a ameaça de morte se não o fizerem. [Lembram de Django “Sergio Corbucci?” 

O plano de Hidalgo, líder do grupo dá errado quando a gangue dos três irmãos Harris entra na cidade e caem numa emboscada de Hidalgo, mas um dos bandidos consegue fugir e avisar os mais de quarenta bandidos acampados próximo à cidade em uma localidade conhecida como Gila Ben. 

 Um próximo ataque à cidade é emintente e depois de matar dois dos Harris, acabam ficando e tentam defender a cidade deles. 

Os mexicanos são gradualmente atraídos a ajudar a salvar a população pelos líderes Hidalgo (Robert Padilla) e Vicente (Federico Gómez), que se apaixonam por duas das mulheres. Um filme muito censurado em vários países mas que não mostram cenas de consumação sexual, apenas um leve nudismo e insinuações de estupros. 

Lopez (Gregory Sierra, sob o pseudônimo de Dirk Peno) implora que eles saiam e acha que é a coisa certa a fazer, mas é ignorado pelo resto dos mexicanos e fica por sua própria conta e risco. Com uma grande semelhança com o ator espanhol Aldo Sambrell, Gregory Sierra se destaca muito em seu papel. É perfeito como o mais rebelde dos sete amigos. 

Quando as duas gangues implacáveis finalmente se chocam, em meio a um considerável furor e traição, segue-se um derramamento de sangue e caos sem paralelo digno de Quentin Tarantino em “Django Unchained” (2012). 

Obviamente, com um orçamento muito baixo, ele mostra um bom resultado de aventura, machismo, suspense, vingança, arrogância, violência com bons tiroteios, cenas fortes e com muito sangue. 


Chuy Franco, Garcia mais tarde se tornou um conhecido cinegrafista e vigorosamente dirigido por Paul Hunt, e que mais tarde faria mais de 20 longas-metragens, trabalhando inclusive com Orson Welles de 1970 até seu falecimento em 1985. Ele também é o compositor e interpreta as baladas mexicanas tristes neste filme e que dá Tum tom Espaghetti ao filme Royal Dano e Stanley Adams tiveram atuações muito boas também interpretando os bandidos mexicanos. 

Pena não existir uma boa cópia disponível deste filme. Tudo o que consegui descobrir é uma cópia VHS com legendas alemãs disponíveis em algumas plataformas sociais, mas independente da qualidade o que apreciamos neste espaço é a arte em sua essência e não a tecnologia na produção ou preservação. Um filme marcante para fãs e apreciadores do Western mundial. 

Tive o maior prazer em elaborar a tradução e a subtitle/legenda no idioma Português ptbr srt para que possa ser traduzida em outros idiomas para que os fãs possam conhecer mais esta raridade do cinema.

                                                                            Trailer Inglês

 
 Link do filme:
 https://www.youtube.com/watch?v=2nsqOF-jPi8
 

Ilustração Fantasia