Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles/Legendas.

18 março 2019

Django, Homem Sem Medo "Cango - Korkusuz Adam" Inédito no Brasil (1966) [Subtitle/Legenda ptbr.str.] Exclusiva Especial Brasil


Django - Homem Sem Medo - Brasil
Cango - Korkusuz Adam - Turquia
Cango - Korkusuz Adam - Ölüm Süvarisi - Turquia

Produção: Tuquia 1966 
Direção: Remzi Jöntürk
Escrito: Recep Ekicigil

Fotografia: Kaya Ererez
Duração: 76 minutos
Produção: Recep Ekicigil e Nevzat Pesen
Co Produção: Artist Film e Pesen Film
Preto e Branco
Áudio: Turco



Tunç Oral - Cango "Django/Tom"                           
Figen Say - Rozita                          
Yilmaz Köksal - Chico "Red Kit"                 
Süheyl Egriboz - Jack
Resit Çildam - Pedro                     
Muzaffer Civan  - Mexicano com bigode
Kayhan Yildizoglu - McLee                          
Meral Küçükerol - Suzi                  
Yavuz Karakas - Fazendeiro Frank                           
Yavuz Selekman - Xerife               
Oktar Durukan – Killing/Cavaleiro da Morte                        
E com Sükrü Üstün, Baykal Alp, Ali Ekdal e Levent Kýral (Levent Kral)



A versão turca para Django, a primeira após o original de Sergio Corbucci.
Apesar de seus orçamentos apertados e atores desconhecidos, ousaram em copiar fielmente o gênero Espaghetti Western europeu com a mesma violência e clichês conhecidos.

O filme Django com Franco Nero de 1966, dirigido por Sergio Corbucci foi a inspiração para o atrevimento. No Django original de Corbucci, uma gangue mexicana na fronteira após a guerra da secessão, liderada por um oficial da confederação, o Major Jackson [Edoardo Fajardo] aterroriza a região usando o seu uniforme do exército racista do norte.

O caçador de prêmios Django tentando sobreviver ao caos, é o herói que irá salvar a cidade da opressão. O filme atraiu muita atenção e destacou-se na época na Itália e a partir daí abriu-se o caminho para o mundo. O personagem ficou tão famoso que muitos Djangos foram criados pelo mundo.


Mostrando enorme habilidade, rapidez e astúcia com a arma, surgiu a versão turca "Cango", criado pelo diretor turco Remzi Jöntürk em 1967. O filme, que Tunç Oral interpreta, também foi o primeiro e único filme a ser traduzido com o nome Cango (Django).

Neste também, o filme é ambientado em uma pequena cidade mexicana. Um nobre minerador de ouro, McLee (Kayhan Yildizoglu) ao possuir a propriedade de uma grande mina de ouro para tentar melhorar o progresso e o desenvolvimento da região tem seu sonho destruído pelo Cavaleiro da Morte (Oktar Durukan) e sua gangue de assassinos inescrupulosos.

O Cavaleiro da Morte faz fielmente o personagem Killing; um homem em uma fantasia de esqueleto. Tom "Django", sobrinho de McLee chega à cidade para assumir os trabalhos na mina e depara-se com o tio pendurado em uma forca e parte a procura dos bandidos para vingá-lo.  Django acaba involuntariamente fazendo amizade com Chico "Red Kit", um vendedor mascate e conta também com a ajuda do xerife local (Yavuz Selekman), que ora também é assassinado.

O vendedor de medicamentos Chico Red Kit (Yilmaz Koksal) apaixona-se pela bela Rozita (Yilmaz Köksal) a proprietária do saloon que também une-se a Django. Ao iniciar sua caça aos bandidos, Tom jura vingança e pede a todos para chamá-lo de Django.


Um roteiro baseado em uma das rotineiras histórias de vingança do Espaghetti Western e ao assisti-lo você perceberá as possibilidades de orçamento em que foi feito. A história avança lentamente e consegue atrair a atenção pelos personagens envolvidos mas, a falta de experiência do elenco não leva a grandes conclusões.

A violência deste filme foi censurada na época na Europa, pelas torturas e excesso de tiros e mortes mas era o que fazia sucesso no cinema naquela época. Há uma cena em que a mão de um dos bandidos, Pedro, [o Fernando Sancho turco] é decepada com um facão e jogada para o cão do Cavaleiro da Morte comer, por ele ter falhado em uma missão.

Lembre-se que no Django de Corbucci há uma orelha mutilada. Em outra cena um braço e decepado com a explosão de uma dinamite, mas as técnicas e efeitos especiais são muito rudes e pobres como em filmes de comédia dos anos 40. A sensualidade está presente em algumas poucas cenas mostrando belos decotes de seios fartos das atrizes turcas.


Cango - Death Rider Fearless ou "Django - Homem Sem Medo" é um filme pobre em orçamento feito num período em que havia espaço para a sua comercialização numa época fantasiosa do anti-herói. Na Turquia eram conhecidos como "Eriste Western".

Apesar deste filme na maioria ter suas próprias músicas, melodias trágicas, ousadamente existem muitas sequências com os temas de "Por Alguns Dólares a Mais" (1965) de Ennio Morricone.

Este seria o enredo principal, mas durante a história surgem uma infinidade de situações e detalhes que não precisariam estar lá acontecendo, mas as raras aparições de Django e Killing surpreendentemente conseguem segurar o ritmo por sua curiosidade. Interessante no final, Killing retirar a máscara e revelar usa identidade à Django e a todos.

A curiosidade maior para quem assiste ao filme é em saber quem vencerá a luta: Django ou Killing. Interessante nessa produção cinematográfica turca que o produziu, foram os primeiros em fazer a sua versão do personagem e seguramente os outros genéricos com outros atores como Anthony Steffen, Terence Hill e outros viriam depois.


Devo lembrar que antes de sua morte, prevendo um atentado contra ele, o empresário minerador McLee despacha escondido dentro de um alforge de couro o mapa e o documento de posse da mina através de seu peão Cisco, para entregá-lo ao seu sobrinho Tom.

De uma forma inusitada, o alforge acaba sendo trocado na carroça do vendedor mascate que acaba se envolvendo na trama e mesmo sem saber, o mascate perde o alforge num jogo de cartas para um agricultor que é perseguido e assassinado pelo Cavaleiro da Morte.

É uma mistura de aventura e comédia. Chico é o personagem ingênuo e inocente que se transforma, enquanto Django acaba sendo o herói. Alguns bandidos fazem a cópia perfeita de Gordon Mitchell (Süheyl Egriboz) como Jack sempre com o sorriso sarcástico e o braço direito do Cavaleiro da Morte e temos também Pedro (Resit Çildam) que faz um "Fernando Sancho" irreparável.

Os atentados de violência sexual é implícita geralmente associada ao Cavaleiro da Morte "Killing". Um final apoteótico com explosões de dinamite, uma armadilha construída para morte lenta de Django planejada bem ao estilo do seriado Batman (Adam West) dos anos 60 que chega a ser hilária, mas lembre-se estamos em 1966.


Quanto aos cenários e locações parecem aceitáveis até porque a Turquia também possui seus belos vilarejos barrocos. Os figurinos da produção é que não convencem e parece que os atores vieram de suas casas com suas próprias roupas para o set de filmagem, detalhes cruciais para um Espaghetti Western.

Cango Korkusuz Adam ou Django aqui, só faltou mesmo ter um caixão para arrastá-lo, mas a atmosfera do filme não faz você levá-lo à sério, principalmente quando chega a gangue dos "Irmãos Farlon" contratados por Jack para eliminar Django.

Em resumo é um filme para colecioná-lo como documento e para quem é fã de Django, respeitá-lo por ter sido a primeira cópia do personagem criada no mundo após o original de Corbucci.

Preocupado em preservá-lo e homenagear essa desafiadora produção, decidi traduzir uma legenda inglesa para o idioma português para que outros fãs possam assistir e conhecer esta raridade.

Versão original turca disponível on line:
 https://archive.org/details/KilinkVsDjangoEnglishSubs

Versão disponível Youtube

3 comentários:

  1. Emanuel Neto19/03/2019 05:08

    Nunca tinha ouvido falar deste filme. Os turcos sempre tiveram a mania de imitar westerns mas a qualidade deixava muito a desejar. Nos anos 70 fizeram adaptações para o cinema do personagem Zagor (dos quadrinhos Bonelli). O resultado é muito fraco e de muito má qualidade.
    Para terminar gostaria apenas de fazer uma observação: no texto é mencionado que no "Django" original de Corbucci, o Major Jackson "usa o seu uniforme do exército racista do norte". Na realidade, Jackson usa o uniforme do sul.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente sua observação sobre Major Jackosn em Django é recíproca.
      Obrigado amigo!

      Excluir
  2. Obrigado por mais uma raridade..

    ResponderExcluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: