Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

14 outubro 2015

Locações Espaghetti Western "Igreja e Convento de San Bonaventura" Aldeia de Monterano Velho - Roma

A Aldeia abandonada de Monterano Velho 
Local de locações de muitos filmes nas proximidades de Roma 


Monterano Vecchio, a beleza eterna de uma aldeia abandonada Monterano Vecchio é uma aldeia abandonada, em vez de uma aldeia definida aldeia feudal abandonada do Canal Monterano, na província de Roma, localizado dentro da Reserva Satural parcial de Monterano. Por sua beleza e especialmente por sua proximidade a Roma (e Cinecittà) foi usada como set cinematográfico para vários filmes. Achados arqueológicos adquirido por pesquisadores evidenciam a existência de uma aldeia feudal da Idade do Bronze (século XI aC.). Depois de um fervor particular durante o período etrusca, como provam, os túmulos que foram encontrados no distrito, que atingiu o seu auge na Idade Média. De fato, neste período, tornou-se um Episcopal.


No século XI, tornou-se parte do território da Abadia de St. Paul em Roma e sua importância, principalmente devido à localização particular do consular, continuou ao longo dos séculos, muitas vezes com brigas entre o papado eo Prefeito de Roma. No século XIV, tornou-se um feudo da família Anguillara, em seguida, passau para outra família muito perto de papado, incluindo o Orsini.
Em pouco tempo ele passou de Feudo para Ducado. Durante o tempo começou a perder importância como uma rota de comércio, Monterano com isso também sofreu o mesmo declínio, tanto que ele começou a perder sua população.
Precisamente o declínio da vila se deu em 1799, quando, devido a uma disputa do trigo por Monteranesi e Tolfetani, a vila foi terrivelmente saqueada pelos franceses. Para piorar as coisas foi a propagação da malária que dizimou a população, especialmente os agricultores. A partir de fontes históricas a tese malária não é muito clara, porque na região não há lagos e muito menos pântanos.


Entrar no Velho Monterano é como entrar em um mundo onde se pode admirar a união harmoniosa e a existência de todas as idades que ocorreram ao longo dos séculos. Muitos são os monumentos de grande importância artística e histórica. O mais impressionante é, sem dúvida, o castelo, que data do século VIII. Esta fortaleza, no decorrer dos séculos, passou por muitas transformações, até que se tornou Palácio dos Barões sob as mãos hábeis de Gian Lorenzo Bernini em 1679, no período barroco, sob o pedido do príncipe Altieri.
Mas o gênio de Bernini não terminou apenas na reabilitação do Palácio dos Barões. Em uma parede exterior do edifício em si, aproveitando-se do elemento que consistiu parte rochosa do edifício, foi construído um chafariz em cima da qual posa um leão no ato de sacudir uma perna com um jato de água que iria acabar diretamente na bacia do chafariz. Arte e natureza se reúnem em um casamento harmonioso, este foi o estilo de Bernini.


No mesmo período, o convento e a igreja de St. Bonaventure, construído por Mattia de Rossi, na sequência de um projeto de Bernini. Embora em ruínas, admirável é a sua grandeza, no meio de uma área plana. Diante de uma bela fonte octogonal (cópia do original, agora mantido no átrio da Câmara Municipal de Canal Monterano). Paralelamente a estes testemunhos do século XVII, coexistem edifícios antigos etruscos como as sepulturas que foram mais tarde transformadas em vinícolas, e vestígios romanos, como o aqueduto (recentemente restaurado pelo município de Roma).

O CINEMA

Como mencionado anteriormente, um pouco por causa da proximidade com a Cinecittà, lugares por sua beleza particular, Monterano Vecchio foi muitas vezes adotada como um set de filmagem para vários filmes, especialmente durante os anos 50. Incluindo "Ben-Hur" com Charlton Heston, “Brancaleone alle Crociate” (Brancaleone nas Cruzadas – Brasil -1970) com Vittorio Gassman “Il marchese del Grillo”, (O Marquês de Grillo – Brasil – 1981) com Alberto Sordi, "Guardie e Ladri” (Guardas e Ladrões – Brasil - 1951) com Totò e Aldo Fabrizi, e a minissérie de TV de 2006 “La Freccia Nera” (A flecha Negra).


Alem de “Le Due Faccia di Dollaro” (As Duas Faces do Dólar – Brasil 1967) foram filmados, "Gli fumavano le Colt... lo chiamavano Camposanto" (Sartana Camoposanto – Brasil 1971) dentre as cenas, a cena final com John Garko e William Berger, “Adiós Sabata” (Sabata Adeus – 1970) com Yul Brynner e Dean Reed, “Joe... Cercati um Posto Per Morire” (Face a Face com o Diabo – Brasil – 1968) com Jeffrey Hunter e Pascale Petiti entre vários outros westerns e vários outros filmes europeus de vários outros gêneros e até mesmo americanos. Outro destaque é a leitura do livro de Antonino Turano, "Os últimos anos de Monterano." (Gli ultimi anni di Monterano). Um conto dos últimos cem anos da vila acompanhada por várias reconstruções artísticas e históricas.


Atualmente esta província romana foi restaurada é preservada e é ponto de 
visitação turística e tombado pelo patrimônio Italiano. 


Faça uma visita turística via Drone.

Pesquisa: Anna Chianese
http://www.borghiabbandonati.com/monterano-vecchio/
Tradução Compilação e Complementação: E. Sanches
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: