Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

04 julho 2015

Três Homens em Conflito "O Bom, o Mau e o Feio" [Il Buono, Il Brutto, Il Cattivo] Especial Brasil


Uma das figuras mais constantes no imaginário das pessoas em qualquer canto do mundo é o cáuboi americano. O gênero inspirou filmes tão díspares quanto os do acrobático Tom Mix nos anos vinte, do cantor Roy Rogers nos anos quarenta ou da lendária associação dos dois Johns ( Ford e Wayne). Curiosamente, a transfiguração para as telas dos caubóis citados mostravam uma figura romântica, sempre: limpinho, de cara lisa, que nunca trapaceava. O perfeito herói, “clean".

Foi preciso aparecer um italiano atrevido para materializar o faroeste numa escala de realidade muito maior e que provocou uma verdadeira revolução na indústria do cinema entre os anos sessenta e setenta: o Espaghetti Western. Apesar do termo meio pejorativo (Faroeste Espaguete), o movimento iniciado pelo genial diretor italiano Sérgio Leone desencadeou uma avalanche de cerca de 800 produções semelhantes se considerarmos os produzidos na Alemanha, e outros produzidos na pré fase Leone em vários outros países da Europa e tão poucos conhecidos na América Latina.

A trilogia que inaugurou o ciclo foi com os filmes "Por um punhado de dólares" (uma refilmagem de "Yojimbo" de Kurosawa), "Por uns dólares a mais" e "Três homens em conflito", este último em destaque.

A pergunta óbvia é: que diferença estes filmes apresentaram em relação a tantos outros feitos anteriormente? Basta imaginarmos qual seria a aparência real de um dos heróis do Velho Oeste Americano.
Homem rude, acostumado a passar longos períodos de solidão nas campinas, florestas ou desertos, acostumado a enfrentar dificuldades tão diversas quanto picadas de cobra, ataques de índios, fome, sede, bandidos, xerifes truculentos, fazendeiros ambiciosos, etc. Diversões? Bebidas da pior qualidade, prostitutas cheias de doenças e jogos de cartas ou dados. Mérito para Leone, disparado.

Mas não é só na aparência que os personagens de Leone são mais verossímeis. As pessoas retratadas em seus filmes são repletas de defeitos e qualidades - como qualquer ser humano - e não aquela dicotomia tradicional de mocinho bonzinho e vilão tenebroso. Não existem arquétipos, os principais personagens são farinha do mesmo saco, embora tenham características diferentes.

O título em português está perfeito ("Três homens em conflito"), mas o original vai direto à caracterização dos personagens: O Bom, o Mau e o Feio. O Feio é Tuco (Eli Wallach), um mexicano saído da miséria para o banditismo, com uma ficha criminal que vai de assassinato a abandono de lar. É ambicioso, vingativo, mentiroso e cruel, embora tenha sentimentos de família e amizade como todo ser humano.

O Mau é Olhos-de-anjo (Sentenza, no original italiano, vivido por Lee Van Cleef), um assassino a preço fixo que se gaba de sempre cumprir os "trabalhos" que assume. Diferente de Tuco, que é passional, Olhos-de-anjo mata por obrigação, tortura para obter o que precisa e coopta quando vê que é necessário. Em nenhum momento perde a calma ou se desespera. O Bom é Blondie (Clint Eastwood), um pequeno vigarista de boa pontaria, que vive em parceria com Tuco arrancando dinheiro de xerifes de pequenas cidades.

O que estes homens tão diferentes têm em comum é o segredo de um tesouro confederado, enterrado num cemitério sulista. Ao longo do filme, alternam-se na dominação dos outros, com o objetivo de extrair a localização exata do tesouro.

Se a história é simples, na transformação em filme é que se nota a genialidade de Leone, que usou técnicas  e movimentos de câmera ousados, aliado a uma trilha sonora de excepcional qualidade, de ninguém menos que Enio Morricone. Algumas sequências do filme são antológicas, como o triplo duelo no cemitério. A passagem de imagem de rostos e mãos dos duelistas, aliado à atordoante música de fundo são impressionantes. Outra sequência estranha e fascinante é quando Tuco percorre o cemitério procurando a sepultura correta. O ritmo alucinante da câmera consegue traduzir toda a emoção e ansiedade do personagem com o fundo musical quase que inacabável e memorável intitulada de “Extase of Gold”, título perfeito combinado à cena.

CINECITTÀ 1964

Uma ideia que me passou pela cabeça (e que pode ou não ter algum sentido) é que os três personagens na verdade são lados de um mesmo triângulo, faces diferentes de uma mesma condição humana. Todos nós temos o nosso lado “Tuco”, que se preocupa com as necessidades elementares (comer, dormir, aquecer-se, divertir-se, etc). Por outro lado, a sociedade que vivemos hoje estimula o lado “Olhos-de-Anjo” à medida em que coloca a competitividade acima de tudo. É o nosso lado Gérson, que tem que tirar vantagem de tudo, cumprindo a velha máxima de que os fins justificam os meios. Por fim, existe o nosso lado idealista e ético, que contrabalança os outros dois, que é representado pela face “Blondie”.

 Talvez a "viagem" tenha sido grande nessa leitura, mas Leone mostra a sua visão otimista ao derrotar o lado mais negro do triângulo.


O filme tem o suporte dos atores, todos excelentes, ainda em início de carreira. Clint Eastwood, o que alcançou maior sucesso, vinha de alguns pequenos seriados na tv americana e aceitou participar de "Por Um Punhado de Dólares" por quinze mil dólares. Esse filme foi a grande guinada em sua carreira, projetando-o como um dos grandes nomes do cinema americano. Lee Van Cleef repetiu a sua performance em inúmeros outros filmes do Espaghetti Western, mas não teve o mesmo sucesso de Eastwood. Eli Wallach, o Tuco, desenvolveu uma notável carreira na televisão americana. Uma curiosidade sobre este último foi a recusa de um papel em "A Um Passo da Eternidade" com o qual Frank Sinatra ganhou um Oscar.

Uma atenção especial deve ser dada à trilha sonora deste filme, assinada por Ennio Morricone. A música tema é praticamente a marca registrada do faroeste no cinema, mesmo que a maioria das pessoas não tenha nem ideia de qual filme foi. Morricone é o mais produtivo compositor do cinema, ao lado de Maurice Jarre. São dele as trilhas de  "O Anticristo", "1900", "La Luna", "Os Intocáveis", "Áta-me" e o maravilhoso "Cinema Paradiso" entre quase quatrocentos títulos que constam do site do Imdb.

O formato de tela para este filme não poderia ser outro senão o widescreen. As panorâmicas constantes, os closes exagerados e o fantástico enquadramento de Leone simplesmente desaparecem quando se faz o corte lateral para preencher a tela da tv. Este foi um dos poucos filmes que foi lançado em VHS com o formato de cinema, gerando muitas reclamações semelhantes às dos iniciantes no DVD hoje, acostumados ao formato de videocassete. O som é mono, mas não compromete a excelente trilha sonora.

"Três Homens em Conflito" é um filme que interessa aos aficionados por faroeste, aos fãs de Eastwood, estudiosos de cinema, apreciadores de boa música ou simplesmente quem quer curtir um bom filme de ação. Outras leituras podem ser feitas, a depender de como se olhe para o filme. Experimente.

Sinópse Resumida
Durante o auge da Guerra Civil, um misterioso pistoleiro (Eastwood) vaga pela fronteira do oeste. Ele não possui um lar, lealdade ou companhia, até que ele encontra dois estrangeiros (Eli Wallach e Lee Van Cleef), que são tão brutos e desapegados quanto ele.

 Unidos pelo destino, os três homens juntam suas forças para tentar encontrar uma fortuna em ouro roubado. Mas trabalho em equipe não é uma coisa natural para voluntariosos pistoleiros, e eles logo descobrem que seu maior desafio é concentrar-se em sua perigosa missão e em manterem-se vivos atravessando um país arrasado pela guerra. Sem sombra de dúvida, o Western mais ambicioso e influente já produzido.



“Três Homens Em Conflito” é uma aventura bem humorada e audaciosa que mudou para sempre o futuro deste gênero cinematográfico, aceitem alguns críticos mais conservadores ou não. O filme arrecadou três milhões de dólares, uma fábula para um filme estrangeiro no ano de 1966.

Newton Ramalho Júnior - Natal, 23 de Agosto de 2001.
Compilação, atualização e complementação - Edelzio Sanches - São Paulo, 03 de Julho 2015.

Elenco Principal: Clint Eastwood, Lee Van Cleef, Eli Wallach, Aldo Giuffrè, Mario Brega, Luigi Pistilli,
Rada Rassimov, John Bartho, Antonio Casale, Angelo Novi e Antonio Casas.

Informações:
“Três Homens em Conflito” - Brasil
“O Bom, o Mau e o Feio” - Brasil
Il Buono, il Brutto, il Cattivo - Original Italiano
Produção: Itália 1966
Direção: Sergio Leone
Música: Ennio Morricone
Duração: 163 minutos
Formato vídeo: MPEG-2
Formato áudio: AC3
Qualidade: DVD-R
Formato: Widescreen (2.35:1)
Extensão: ISO
Áudio: Inglês
Legenda: Português/Inglês/Espanhol/Coreano/Tailandês, Indonésio e Chinês
Tamanho: 4.36 GB
Resolução: 720 x 480 Pixels

Links Disponíveis na Web, pasta com 9 partes
https://mega.co.nz/#F!VIpSQQjL!TdKWjFat3Yl8yY8SFTSd6w

11 comentários:

  1. É um dos grandes clássicos do gênero.

    Nunca é demais lembrar que em gênero tão americano quanto o western, alguns dos melhores filmes de todos os tempos tenham sido dirigidos por um italiano, o grande Sergio Leone.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Hugo, grato pela participação em nosso espaço.
      Seus comentários serão sempre bem vindos!

      Excluir
  2. Considerado o western definitivo e sempre com postagens, propagandas, e comentários indelével.

    Luiz Carvalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Luiz, mas antes de postar exige-se muita pesquisa e conhecer um pouco e procurar postar coisas novas aos fãs.

      Excluir
  3. Olá Amigo EdelzioSanches
    Excelente post do talvez, mais emblemático western de todos os tempos, que faz uma perfeita síntese de tudo que já foi feito no gênero! Leone excepcionalmente gruda o expectador na tela desde a primeira cena, como a carranca do Mullock. Não me.canso de reassisti-lo e nem.de.Lee.as.resenhas! Valeu! Abraço, joailton.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um filme completo em todos os quesitos.

      Excluir
  4. Emanuel Neto05/07/15 05:18

    A duração original deste filme é de 180 minutos. Infelizmente em muitos países o filme foi reduzido para cerca de 160 minutos mas hoje em dia (pelo menos na Europa) já é possível ver a versão completa em DVD.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele foi distribuído com muitas variações e cortes pelo mundo, mas esta foi a que encontrei legendada no Web.

      Excluir
  5. Realmente Edelzio, esse filme é de uma longa metragem e tem curiosidades ainda não conhecidas pelos fãs, como disse o Emanuel Neto 20 minutos de cenas cortadas e esses cortes tem significados importantes para ser visto, e eu já vi no youtube algumas cena que está incluída nesses 20 minutos cortados que não está no DVD.

    Luiz Carvalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou conseguir os links pra você baixar um completo sem cortes que eu tenho ok?
      Abração Luiz

      Excluir
  6. No Netflix tem completo

    ResponderExcluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: