Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

14 outubro 2014

A Morte de Celso Faria - Tributo Especial Brasil


Após a notícia desagradável da morte de Rick Boyd em 07 de Outubro de 2014, uma semana depois, recebemos lamentavelmente também a notícia da morte do ator brasileiro Celso Faria ontem, 13 de Outubro de 2014 no Rio de Janeiro.

Já tinha informações de como localizá-lo no Rio e era meu objetivo, agendar uma visita com o ator e ter uma conversa com ele e tentar atualizar e levar algumas informações aos seus fãs, mas infelizmente não foi possível pelo seu estado de saúde e o seu tempo infelizmente encurtou-se.

Ao leitor deste espaço presto a homenagem a mais este ícone do cinema brasileiro que brilhou no cinema europeu nas décadas de 60 e 70. Você à partir de agora vai fazer uma viagem no que há de mais completo de sua carreira na web através desta postagem sobre um ator ainda desconhecido por muitos no Brasil, principalmente pelas novas gerações de fãs.

Jornal O GLOBO - Rio de Janeiro – Brasil 13/10/2014

Morre, aos 82 anos, o ator Celso Faria com mais de 40 longas no currículo. Paulista, fez parte de filmes Western Spaghetti e de Pornochanchadas.

Morreu de enfisema no Hospital de Clínicas de Niterói nesta segunda-feira,
aos 82 anos, o ator paulista Celso Faria. Com mais de 40 filmes no currículo,
ele esteve presente em diversos longas de pornochanchada e atuou também no cinema italiano, em faroestes western spaghetti.

Nascido em 07 de abril de 1932, na capital paulista, Faria estreou no cinema em 1957, com "Rebelião em Vila Rica". Com Mazzaroppi, estrelou "Chofer de praça", dois anos depois.
Esteve também em "Dona Violante Miranda" junto a Dercy Gonçalves, além de ser o vilão de "Conceição" (1960).

Após outros longas, mudou-se em 1962 para a Itália a convite do diretor Wladimir Lundgren, e por lá se tornou presença constantes em faroestes. Com o próprio nome ou sob o pseudônimo Tony Andrews, fez diversos papéis nos filmes de Django (vividos por Jack Betts e Anthony Steffen, entre outros) e Sartana. Apesar disso, não participou do clássico de 1966, onde o protagonista é vivido por Franco Nero.

Em 1973, Faria volta ao Brasil, diretamente para as pornochanchadas, entre elas "Café na cama" (1973) e "Confissões de uma viúva moça" (1976), com José Wilker e Sandra Barsotti. Seu estereótipo de mau lhe valeu um papel em "Eu matei Lúcio Flávio" (1979), de Antônio Calmon, e "Escalada da violência" (1982).
Com Hugo Carvana na direção, um de seus último trabalhos foi "Vai trabalhar vagabundo 2", de 1991.
Fora das telonas, também atuou em 80 fotonovelas e, na televisão, esteve na produção da TV Manchete "A rainha da vida", de 1987.

O corpo do ator será cremado às 16 horas desta terça-feira 14 de Outubro de 2014 no Memorial do Carmo, no Caju, Rio de Janeiro, Brasil.

CELSO FARIA – Mini Biografia por E. Sanches 

Ator nascido (Birth) 07 de Abril de 1932 em São Paulo, Brasil Filho do ator José Jorge Faria, na adolescência estuda jornalismo, sempre lendo muito sobre teatro e cinema, sua paixão.
Em 1955 faz uma ponta no inacabado “Três Destinos”, selando ai sua estreia cinematográfica, numa duradoura carreira de mais de 40 anos e muitos filmes. Destacam-se “Conceição (1960) e Luz Del Fuego (1982)”. Coadjuvante mais conhecido por suas incursões no Spaghetti Western, firma-se a partir dos anos 70 no cinema brasileiro.

Interessa-se por cinema desde a infância, pois o pai José Jorge Faria, frequentara a Hollywood dos anos 20, fazendo inúmeras figurações, como em “Four Horsemem of the Apocalypse”, com Rodolfo Valentino.
Trabalha inicialmente como jornalista e corretor de imóveis, Atua em algumas produções da Brasil Filmes, como “Ravina”. Encarna a figura do poeta Antonio Gonzaga em “Rebelião em Vila Rica”, conquistando algum reconhecimento, o que lhe permite agarrar a carreira de ator. Bastante requisitado, participa em curto período de “Chofer de Praça e Dona Violante Miranda.

Resolve seguir para a Itália, tal como fez Norma Bengell, com quem filmara “Conceição”, no início da década de 60. Embarca em 1962 com o diretor Fernando de Barros, com indicações de que o diretor Riccardo Freda reservara-lhe um papel em seu próximo filme. Depois de um período sem atuar, desiludido retorna ao Brasil, ocasião em que roda “O Anjo Assassino”. Recebe em 1965 o convite do diretor brasileiro Wladimir Lundgreen, radicado em Roma para personificar um vilão em “Django não espera...mata”. Um novo gênero cinematográfico reinventado pelos italianos, (neste mesmo ano outros clássicos já começavam a serem rodados como os filmes de Ringo com o ator Giuliano Gemma e a Por um punhado de dólares de Sergio Leone).
Consagra-se então como bandido neste filme em meio a um pequeno grupo de atores brasileiros que se aventuravam pela Itália tais como: Norma Bengell, Antônio de Teffé (Anthony Steffen – o mais bem sucedido no gênero), a atriz baiana Esmeralda Barros, Florinda Bulcão (Florinda Bolcan) e Marília Branco.

Destes Florinda Bulcão e Marília Branco não fizeram o gênero Western. Celso Faria participou de 11 filmes do gênero, ora com o próprio nome ora com seu pseudônimo Tony Andrews. Torna-se conhecido protagonizando mais de 80 fotonovelas, republicadas em português pela revista “Sonho” e trabalhando na Alemanha, onde fez 4 filmes policiais e um novela para a televisão.

Volta definitivamente para o Brasil em 1973 desempenhando o tipo ““Machão” em comédias eróticas e atuando em filmes violentos como “Eu matei Lúcio Flávio e Terror e Êxtase” veículos para sua conhecida personalidade de homem mau.

Filmografia Espaghetti Western - Celso Faria - Brasil Titles

1967 Django Não Espera...Mata / Não Espere Django, Atira
1968 Sua Lei Era O Colt  / Reze A Deus E Cave Sua Sepultura
1968 Peça Perdão A Deus... Nunca Amim 
1969 Eu Sou Sartana, O Anjo Da Morte
1969 Quintana
1969 Django O Bastardo
1969 Os 4 Pistoleiros Para Satana /  Os 4 Assassinos De Sartana / Sou Sartana, Venham em 4 Para Morrer
1970 A Balada De Django / Uma Balada Para Django
1970 Django E Sartana Chegaram ...É O Fim / Django E Sartana No Dia Da Vingança
1970 Django E Sartana Frente A Frente / Django E Sartana Até O Último Sangue / Django Desafia Sartana  (Brasil) 
1971 Ficou Um Só / Irmãos Fora Da Lei / Fico Só Mas Mato Todos
1971 O Xerife De Rockspring

SEUS WESTERNS FILME A FILME:

1967 - NON ASPETTARE DJANGO, SPARA
Don’t Wait, Django...Shoot! (USA)
DJANGO NÃO ESPERA...MATA - NÃO ESPERE DJANGO, ATIRA – (BRASIL)
Direção de Edoardo Mulariga (Edward G. Muller).
No papel de “Gray” atuando com Ivan Rassimov (Sean Todd – que no mesmo ano filmou Cjamango e fez enorme sucesso), Ignazio Spalla (Pedro Sanchez), Rada Rassimov e Dean stratford.


1968 - PREGA DIO...E SCAVATI LA FOSSA Pray to God and Dig Your Grave (EUROPA -USA)
SUA LEI ERA O COLT – REZE A DEUS E CAVE SUA SEPULTURA - (BRASIL)
Direção de Edoardo Mulargia.
Com Robert Woods, Cristina Penz, Jeff Cameron , Calisto Calisti e fotografia de Franco Villa, outra lenda muito requisitado pelos diretores para manter os enquadramentos barrocos criados por Sergio Leone.

Com a música de Marcello Gigante, o filme se tornou um dos maiores Cults do western italiano.
Celso Faria faz “Ignázio”, um pobre peão capturado e enterrado vivo para que mexicanos passe com cavalos sobre sua cabeça. Isso é motivo bastante para que Fernando “Robert Woods” inicie a vingança do irmão. 
Mencionou em entrevista em 2003 que apesar de estar no mesmo filme com Robert Woods inclusive interpretando o seu irmão, não coincidiu de atuarem juntos e nem de se encontrarem no set deste filme e gostaria muito que isso tivesse acontecido.


1968 - CHIEDI PERDONO A DIO... NON A ME
May God Forgive You... But I Won't (USA)
PEÇA PERDÃO A DEUS... NUNCA A MIM - (BRASIL)
Direção de Vincenzo Musolino
Com George Ardisson (Cjamango), Anthony Ghidra, Peter Martell, Pedro Sanchez e um super elenco além da presença da brasileira Esmeralda Barros como “Conchita” e uma fotografia inpecável de Mario Mancini.

Celso Faria participaria de um dos mais belos duelos dentro do saloon ao lado de Omero Gargano, juntos duelando contra Cjamango, após uma trapaça no jogo de poker.
Participação de Esmeralda Barros em uma cena antológica do Espaghetti Western no qual se perpetuaria a frase de Cjamango: “Peça Perdão a Deus, nunca [não] a mim”.
Nesta, após eliminar Chico (Tano Cimarosa) um dos assassinos de sua família, Cjamango sai de cena e surge Garcia Barrica Ramirez (Pedro Sanchez) para consolar “Conchita” (Esmeralda Barros) em que ele tenta seduzi-la com uma bela tomada em close-up de seus seios [muito divertido]. Veja em: https://www.youtube.com/watch?v=Yqq1N_jzNfQ


1969 - SONO SARTANA, IL VOSTRO BECCHINO
I Am Sartana Your Angel of Death (Australia)
I’ll Dig Your Grave (USA)
Sartana the Gravedigger (USA)
EU SOU SARTANA, O ANJO DA MORTE – (BRASIL)
Direção de Giuliano Carnimeo (Anthony Ascott), outra lenda do Western Italiano.
Neste Celso Faria interpreta “Gin” ao lado de nada mais nada menos do que Klaus Kinski, John Garko
(O Sartana orinigal), Gordon Mitchell, Frank Wolff, Ettore Manni, Sal Borgese e Rick Boyd (falecido em 07 de Outubro de 2014).
Um elenco que perpetuaria o personagem deste segundo filme de Sartana na retina de muitas gerações e ninguém imaginava que haveria um brasileiro neste filme histórico.

 

1969 - QUINTANA
Quintana: Dead or Alive (USA)
QUINTANA – (BRASIL)
Direção de Vincenzo Musolino
Atuando como personagem “Manuel” neste já não só como figurante mas sim coadjuvante ao lado de Osvaldo Ruggeri, Artemiro Antonini, Fortunato Arena, Femi Benussi (linda atriz Italiana que agora é naturalizada Croata), Spartaco Conversi, Dean Stratford, Pedro Sanchez (O personagem Caruncha eternizado pelo seu humor negro ao lado de Lee Van Cleef na trilogia “Sabata”) e muitos outros. Um filme muito cultuado na Europa e Ásia.


1969 - DJANGO IL BASTARDO
Django the Bastard (USA)
Stranger’s Gundown (USA)
The Strangers Gundown (USA)
DJANGO O BASTARDO – (BRASIL)
Direção de Sergio Garrone.
Outro fato interessante para os fãs brasileiros é que historicamente em um Western Europeu, juntam-se dois brasileiros aqui com Anthony Steffen que também escreveu e dirigiu este Django interpretado por ele mesmo.
Celso Faria interpreta “Evans”, um soldado traidor do exército. Aqui unidos Anthony Steffen e Celso Faria em uma única cena que registra este momento. Celso Faria não aparece nos créditos. No elenco também Paolo Gozlino, Remo Capitani e outros.


1969 - ...E VENNERO IN QUATTRO PER UCCIDERE SARTANA!
Four Came to Kill Sartana (USA)
Sartana, the Invincible Gunman (USA)
OS 4 PISTOLEIROS PARA SATANA – OS 4 ASSASSINOS DE SARTANA – SOU SARTANA, VENHAM EM 4 PARA MORRER - (BRASIL)
Direção de Demofilo Fidani (aqui como Miles Deem).
Neste interpreta Ramírez, um exímio atirador de facas, contratado para matar Sartana (Jeff Cameron) e em uma cena de aproximadamente 6 minutos no saloon, Celso Faria de camisa vermelha, o último a sobrar após uma luta é morto em um duelo com Sartana. Apenas mais uma pontinha mas apareceu nos créditos e foi visto nas telas do mundo inteiro junto a Franco Ricci, Daniela Giordano, Simone Blondell e Mariella Palmich.


Equipe de Filmagem de Demofilo Fidani.
Nota: Benito Pacífico [Chapéu Preto] Demofilo Fidani [Camisa Branda de Óculos] Jeff Cameron [Jaqueta Couro e cabelos loiros] e Mila Valenza Vitelli [Produtora e esposa de Fidani]
Foto do acervo de Simone Blondell

1970 - ARRIVANO DJANGO E SARTANA...È LA FINE
Django and Sartana Are Coming... It’s the End (USA)
Django and Sartana’s Showdown in the West (USA)
Django and Sartana... Showdown in the West (USA)
Final Conflict... Django Against Sartana (USA)
Sartana If Your Left Arm Offends, Cut It Off (USA)
DJANGO E SARTANA CHEGARAM ...É O FIM – DJANGO E SARTANA NO DIA DA VINGANÇA - (BRASIL)
Direção de Demofilo Fidani (Dick Spitfire)
Com Hunt Powers, Chet Davis, Simone Blondell, Benito Pacifico, Dean Reese, Gordon Mitchell, Krista Nell e Ettore Manni. Um elenco de peso para o filme em que Celso Faria participou, mais uma vez como um dos vilões braço direito de Burt Kelly [Gordon Mitchell].



1970 - QUEL MALEDETTO GIORNO D´INVERNO…DJANGO ALL´ULTIMO SANGUE
Django e Sartana (USA) One Damned Day at Dawn... Django Meets Sartana! (USA)
DJANGO E SARTANA FRENTE A FRENTE - DJANGO E SARTANA ATÉ O ÚLTIMO SANGUE – DJANGO DESAFIA SARTANA - (BRASIL)
Direção de Demofilo Fidani
Atuando como “Frank Cutler” uma testemunha de crimes que é morto por Bud Willer (Dean Stratford) junto com seu irmão tendo em seguida sua casa incendiada. Além de Hunt Powers, Fabio Testi, Benito Pacifico, Simone Blondell. Neste já com fotografia de Franco Villa, um mito na fotografia dos Westerns italianos.


1971 - RIMASE UNO SOLO E FÙ LA MORTE PER TUTTI!
Brother Outlaw (USA)
FICOU UM SÓ – IRMÃOS FORA DA LEI - (BRASIL).
Direção Edoardo Mulargia
Celso Faria é um xerife de um de um pobre povoado na fronteira que une-se a Tony Kendall para acabar com um bando de assassinos liderados por Dino Strano [Dean Stratford] e também com Jean Luis.


1971 - LO SCERIFFO DI ROCKSPRING
Sheriff of Rock Springs (USA)
O XERIFE DE ROCKSPRING – (BRASIL)
Direção Mario Sabatini
Com Richard Harrison, Cosetta Greco e Donald O´Brien.
Aqui Celso interpreta o “Juiz” e Pastor da cidade cheia de problemas infestada de bandidos em maio a crianças empenhadas em ejudar na lei e na ordem. [Curioso].



ESTEJA EM PAZ [R.I.P.]
07 de Abril 1932 * 13 de Outubro 2014

5 comentários:

  1. Emanuel Neto15/10/14 13:55

    Celso Faria era uma presença assídua nos westerns de Demofilo Fidani. Infelizmente nunca teve papéis de protagonistas contrariamente ao seu amigo Anthony Steffen. Perdeu-se mais um gigante dos westerns italianos. O cinema fará com que seja para sempre recordado. R.I.P. Celso!!

    ResponderExcluir
  2. Que me lembro só conheço um Filme com ele (Irmãos Fora Da Lei) com Tony Kendall. é perdemos mais um Amigo Edelzio e um Brasileiro. Vai Com Deus Hombre!

    Luiz Carvalho

    ResponderExcluir
  3. Aqui no Brasil infelizmente os nossos atores e atrizes são esquecidos e têm o seu fim por trás dos bastidores sem reconhecimento nenhum, infelizmente.
    Era um bom ator e pelo pouco que soube, uma grande pessoa humana.

    ResponderExcluir
  4. Esta e uma das maiores reportagem. Sonbre um ícone brasileiro que atuou internacionalmente. Parabéns pela brilhante matéria.
    Uma matéria que faz qualquer um cinéfilo respirar mais forte o cinema que existe dentro dele.Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos elogíos, artecomsucatas. Isto só faz com que eu procure a melhorar as postagens e curiosidades sobre o western e tudo relacionado a ele.
      Tenho uma entrevista com Celso Faria que na medida do possível será postada aqui. Aguarde. Abração e obrigado.

      Excluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: