Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

17 setembro 2011

Filmografia Espaghetti Western Robert Woods

1-Los pistoleros de Arizona (1965) “5000 Dollari Sul Asso” "Five Thousand Dollars on One Ace" – USA
(5000 Dólares no Az) - (Redenção de um Bandoleiro)
2-L'uomo che viene da Canyon City (1965)"Man from Canyon City" - USA
3-Sette pistole per i MacGregor (1966)
4-Due once di piombo (1967) ´”Meu nome é Pecos”
5-Pecos è qui: prega e muori (1968) "Pecos Cleans Up"-USA (Pecos vem para Matar)
6-Cuatro dólares de venganza (1968) "4 Dollars of Revenge"
7-Prega Dio... e scavati la fossa (1968) "Pray to God and Dig Your Grave"(Sua lei era o Colt)
8-Il mio corpo per un poker (1968) La Belle Star
9-Starblack (1968) "Johnny Colt" – USA
10-Black Jack (1968)
11-Quel caldo maledetto giorno di fuoco (1968) "Gatling Gun"-USA (A metralhadora de Django)
12-La taglia è tua... l'uomo l'ammazzo io (1969)
13-La sfida dei MacKenna (1970) "Challenge of the McKennas"-USA
14-Il mio nome è Mallory... M come Morte (1971)"Mallory Must Not Die"-USA
15-Era Sam Wallash... lo chiamavano 'Così Sia' (1971) "Savage Guns"-USA (Armas Selvagens)
16-Un colt por cuatro cirios (1971) "Four Candles for Garringo"-USA (4 Velas para um cadáver)
17-Hai sbagliato... dovevi uccidermi subito! (1972) – Ringo Volta para Matar
18-Sei bounty killers per una strage (1973) “Kill the Poker Player"-USA (6 invencíveis pistoleiros / Seis Pistolas para um massacre)
19-Una colt in mano del diavolo (1973) "Colt in the Hand of the Devil"-USA (Uma Colt na mão de El Diblo)
20-La spacconata (1974)"White Fang and the Gold Diggers"–USA
21-Zanna Bianca e il cacciatore solitario (1975) Presas Brancas o Caçador Solitário.

Parte do meu Acêrvo Espaghetti Western em DVD

19 comentários:

  1. Esse seu acervo tem quase o tamanho do meu, Edelzio. O meu tem mais de 500 filmes, sendo que, na maioria são westerns. Aposto que entre as produções italianas deve haver muita coisa que ainda não temos em comum. Ou seja, algo que tenho e você não tem e alguma coisa sua que não possuo ainda.

    ResponderExcluir
  2. Comentário Via E-mail de Lulinha Carvalho.

    "SARTANA, A SOMBRA DA MORTE"

    Edelzio e amigos fãs, acabei de assistir um trailer desse filme e fiquei deslumbrado com os atores Jeff Cameron, Dennys Colt, Frank Vargas,Dino Strano, e a atriz Simone Blondell muito requisitada po Demófilo Fidane que eu gosto muito nos filmes dele. um grande filme que falta reaparecer.

    SARTANA, A SOMBRA DA MORTE
    Sartana... A Sombra Da Morte
    “Passa Sartana... E´ L´Ombra Della Tua Morte”
    “Shadow Of Your Death”

    Produção: Itália 1968
    Direção: Demofilo Fidani (Sean O´Neal)
    Duração: 88 Minutos
    Com : Jeff Cameron, Dennys Colt, Frank Fargas, Elizabetta Fanti, Marielle Palmich, Demofilo Fidani ( Miles Deem),
    Luciano Conti, Dino Strano E Simonetta Vitelli (Simone Blondell).

    Sartana, O célebre Fora-Da-Lei e herói do Oeste somente mata por razões de honra e recebe uma proposta de agentes federais de ficar encarregado de investigar a violência gerada por quadrilhas na região.
    Infelizmente não fica só na investigação e ele começa a limpar a cidade.
    Mais um filme para atrair os fãns de “Sartana” (John Garko) pois atraÍa muita gente naquela época.
    Faltou uma história mais pungente diretor Demofilo Fidani o qual faz ainda uma pequena participação,
    Dirige sempre com maestria os seus atores e o seu pequeno orçamento.
    Este não está entre os melhores dele mas as cenas de ação ainda salvam a fita.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito deste filme também.
    A atriz Simonetta Vtelli (Simone Blondell)
    era filha do diretor Demofilo Fidani.

    ResponderExcluir
  4. Robert Woods Comentou via E-mail
    Robert escreveu: "Thanks Edelzio, for taking the time to include me on your blog..."

    ResponderExcluir
  5. Mensagem via E-mail de Danny Garcia Promotor do Evento Almeria Western Festival Film 2011
    Edelzio,

    La prensa se encargó de comunicar los ganadores del Festival: Aballay de Fernando Spiner (mejor película) y The Warrior's Way de Sngmoo Lee (premio del público).
    Culturalmente el Festival ha sido un éxito y mediaticamente también aunque faltó un poco más de participación del publico de Almeria.
    Ya estamos hablando con las instituciones locales para trabajar juntos para el AWFF 2012.

    Gracias por tu apoyo.
    DG
    ALMERiA FESTIVAL 2011
    awffinfo@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Comentário via E-mail de Lulinha Carvalho
    Cabo de Santo Agostinho - Pernambuco - Brasil

    "SARTANA...A SOMBRA DA MORTE" (1968)

    Você nunca esquece dos seus amigos e é muito prestativo, e esta música tema de “Sartana...A Sombra da Morte” que me enviou é muito bonita e eu estava sempre pensando nela, e o filme é ótimo com o ator Jeff Cameron que encabeçou o personagem “Nevada Kid” também no filme “Por Um Caixão Cheio de Dólares”, é lamentável ainda não ter sido editado no Brasil.
    Valeu Edelzio.
    Lulinha Carvalho

    ResponderExcluir
  7. Comentário via E-mail de Simonetta Vitelli
    "Simone Blondell"

    Bellissima raccolta.....baci baci
    (Bela coleção ..... beijos beijos)

    ResponderExcluir
  8. Comentário via E-mail de Aprígio/História
    Feira de Santana - Bahia - Brasil

    Desabafo parte I

    Ok Edelzio,
    Tirei algumas xerox das páginas que eu achei mais importantes para nossas análises. Depois com calma vou xerocar o livro completo. Aqui vou lhe passar um resumo de um artigo que já estou elaborando para rebater as posições desse autor e que passarei para você e para os outros spaghettianos como Pedro Pereira e Emanuel Neto do Por-Um-Punhado-de-Euros.
    Na antiga Grécia existia um grupo de filósofos de idéias bem sofisticadas que foram denominados de sofistas e que se degladiavam com outros grupos para afirmar seus pontos doutrinários. Debateram inclusive com Sócrates, que utilizou o artifício da maiêutica para desmontar suas idéias.
    O filósofo sofista se utilizava de argumentações retóricas bem elaboradas e inteligíveis, aparentemente verdadeiras (ou seja, tinham aparência de verdade) para levar seu interlocutor ao convencimento e aceitação de um conceito falso. Ao ler essas páginas que eu vou lhe passar você perceberá que o autor procede muitas vezes até capciosamente com uma técnica discursiva para confundir e nos levar a aceitar um conceito falso do Western Spaghetti (existe o tempo todo, uma ironia em suas palavras Tachando-o de espúreo, quando não de sub-gênero). Ou ele não entendeu bem as bases culturais em que está calcado o gênero ou então se faz de desentendido. Diz que a trilogia não deixa de ter seu valor, principalmente o primeiro “Por um punhado de dólares” e o terceiro “Três homens em conflito”, no entanto mais a frente ele objeta: "..mas não são grandes obras primas, como querem alguns....Destoam, todavia, do Western ”estadunidense” na ambientação, no "clima", nos melhores filmes dessa procedência." (pp 114). Bem, seria de bom tom que o autor explicasse o que é uma grande obra prima e uma pequena obra prima e expusesse a diferença básica entre as duas. O que é isso mesmo? O que ele quer mesmo? É afirmar na verdade que os filmes citados não são na verdade obras primas como muitos críticos já afirmam. As obras primas só podem existir na ambiência no "clima" dos filmes americanos. Ok? è melhor pensarmos imediatamente no obraprimômetro ou o filmômetro com escalas de intensidade de qualidade fílmica para identificar as ditas cujas.
    Observe bem o jogo de palavras ao analisar Era uma vez... Ele faz uma inversão na precedência de nacionalidade do filme: Era Uma Vez no Oeste (Once Upon A Time in The West/ C'era una Volta il West.EE.UU/Itália, 1969)... Um dos melhores filmes de faroeste. Aí o fã lê e aplaude achando isso o máximo-'esse é o cara'. Ele coloca os E.U.A na frente puxando a sardinha para aquele país, quando a ordem na escritura deveria ser C'era Una Volta il West/Once Upon a Time in The West, Itália/ EE.UU, 1968. Ele força mais uma vez para dar a primazia aos E.U.A e à Hollywood. Leva o leitor desatento a concluir que o filme só teve aquela excelência porque o capital foi majoritariamente americano e filmado no Arizona e Utah, ambientes preferidos de John Ford, Quando na verdade não foi bem assim a história.

    ResponderExcluir
  9. Comentário via E-mail de Aprígio/História
    Feira de Santana - Bahia - Brasil

    Desabafo - Continuação

    A Rafran San Marco, produtora italiana foi quem arcou com tudo. Quando houve difilculdades devido ao tempo de filmagens (diga-se de passagem devido ao preciosismo de Leone) ter se alongado a Paramount (no papel apenas de distribuidora) injetou mais dinheiro. Toda a equipe técnica do filme era italiana. Portanto o filme é italianíssimo e bem ao contrário do que ele afirma quando escreve que o estilo Spaghetti foi "...totalmente assimilado pelo genuíno faroeste". Nesse filme Leone leva ao extremo sua ambição de desconstruir o formato clássico dos faroestes americanos. A arquitetura barroca do Spaghetti desmonta, tritura e digere totalmente a arquitetura fílmica simplória dos chamados clássicos. É só conferir entrevistas dele, de atores e roteiristas que trabalharam ao lado do cineasta italiano. Leone achava que tinha muita conversa nos westerns americanos e que todo mundo falava apressadamente e que o ritmo do Country havia prejudicado muitos daqueles filmes. Quando Cheyenne diz para o homem que tenta sacar a arma para pegá-lo de surpresa na Pousada "Você não sabe tocar" é na verdade uma crítica indireta de Leone a Johnny Guitar e outros muitos westerns da terra de Tio Sam. É só perceber o sub-texto. O homem era inteligentíssimo e Bilharinho parece querer ser mais do que ele.
    Na resenha de Silverado ele classifica o Western Spaghetti de 'vírus' e detona em todos os aspectos. Quer atribuir os defeitos desse filme a um gênero que nunca se portou daquela forma. Nem de longe Silverado se parece com qualquer spaghetti. Pode ter existído a intenção de Lawrence Kasdan em fazer até um a homenagem, mas ele foi totalmente malfadado. Em nenhum momento aparecem closes do tipo dos spaghettianos, nem aqueles zooons, nem mesmo a trilha têm as características daquelas que conhecemos. Alias nenhum diretor americano conseguiu de fato repetir o que os italianos, espanhóis e alemães fizeram. Houve uma reinvenção, uma revalorização e até mesmo uma revolução estética com elementos próprios da cultura européia e muitos daqueles diretores eram intelectuais engajados, com idéias marxistas do materialismo histórico de Karl Marx. Muitos buscaram tão somente o entretenimento, no entanto existiu em outros a ambição de deixar uma marca, uma idéia duradoura. Parece que o nosso amigo ignora esse aspecto ou se faz de desentendido.
    Bem Edelzio vou ficar por aqui. Leia as resenhas e me responda. Se quiser pode adiantar para os outros colegas para que se comece um debate. Poderemos lançar o debate nos círculos europeus e você tem os caminhos para isso. Não estamos desrespeitando ninguém, levantando calúnias, nem difamando, nem usando palavras de baixo calão, apenas contestando com argumentações.
    Valeu, aí vão partes do livro.

    ResponderExcluir
  10. Estive em Itália e encontrei a edição limitada de Una colt in mano del diavolo. Sorte!

    É assim:

    http://auto-cadaver.posterous.com/loucura-spaghetti-un-colt-in-mano-del-diavolo

    ResponderExcluir
  11. Desabafo continuação!
    Como esse senhor que se intitula autor "Bilharinho" consegue escrever tanta coisa com tantas palavras difíceis e não consegue expressar e nem explicar nada.
    Para se passar a mensagem ao leitor é necessário em primeiro lugar conhecer o assunto e possuir alguma bagagem em pesquisas bem aprofundadas e depois colocar num "livro".
    Se fosse um livro escrito sobre o Cangaço ou qualquer outro tema folclórico nacional brasileiro, poderiamos até entender sua tentativa de ser escritor por morar no país e saber um pouco como todo mundo sabe, mas falar sobre o cinema internacional sem qualquer experiência é lamentável.
    Se o Rubens Edwald Filho, um dos maiores críticos de cinema do Brasil ler o que este escritor escreveu sobre o Western ele cai de costa, pois ele é fã dos Faroestes tanto Americanos quanto Europeus e assim como eu não tem precoceito nenhum a respeito deste seguimento. Como já disse tudo é bom, desde que faça bem para nosso "espírito". Deve-se em primeiro lugar respeitar as preferencias e os gostos dos outros.
    Parece até um Corinthiano escrevendo um livro sobre o Palmeiras, um Vascaino escrevendo um livro sobre o Flamengo ou até mesmo um escritor torcedor do Bôca Juniors escrevendo um livro sobre o River Plate.
    Lamentável.

    ResponderExcluir
  12. Gostei meu caro Edelzio. Não tenho raiva do cinema americano. A questão não é essa porque de qualquer forma ele têm sua história. Os filmes como qualquer obra de arte são produto de uma época e de um contexto cultural e político perpassado de ideologias. Uma linguagem cinematográfica pode ser superada se insistir por muito tempo apenas com uma fonte de idéias. As ideologias estão impressas em tudo que escrevemos e falamos como jão dizia o grande cientista social alemão Weber. o que não admito é essa idéia de superioridade, esse hollywoodocentrismo em que os outros cinemas não valem nada. tudo é Hollywoood e etc."Porque o som é melhor e isso e aquilo e tal...".A tecnologia cinematográfica praticamente se desenvolve no mundo simultaneamente é só pesquisar. O cinema europeu forneceu muuitas idéias (e muuitas revolucionárias)para o cinema americanoe vice versa.Num determinado momento as demandas culturais mudam,vão se amoldando. Quando falo do Western Spaghetti a ideologia pode se manifestar em minhna preferência,minhas palavras podem estar perpassadas de ideologia que impõem sempre análises favoráveis, mas tenho que lutar para equilibrar com um pouco de neutralidade,senão a coisa pode também chegar ao spaghettocentrismo.Os faroestes spaghettis ruins (e foram feitos muitos) eu consigo enxergar. Mas o nosso amigo só consegue enxergar tudo ruin , como vírus.

    ResponderExcluir
  13. Comentário via E-mail de Aprígio/História
    Feira de Santana - Bahia - Brasil

    Desabafo - Continuação - parte II

    Bom dia Edelzio

    Retornando ao assunto sobre Guido Brilharino eu gostaria de completar dizendo que se nós fazemos parte de um blog que reúne aficionados do gênero Spaghetti e temos a obrigação de rebater críticas, principalmente quando são meramente preconceituosas e de fundo ideológico, como é o caso do citado autor. Não se admite hoje que se escreva um livro sobre filmes de faroeste em que só sejam citados filmes americanos baseados apenas no fato de que os E.U.A. são a pátria do gênero, repetindo aquele antiquado refrão de que "o faroeste é o gênero americano por excelência". Todos os filmes de Sergio Leone devem obrigatoriamente figurar, assim com Django e O vingador silencioso de Corbucci pelo menos; O dia da desforra e Corre homem, corre de Sollima pelo menos; A morte anda a cavalo de Petroni pelo menos; a trilogia Sabata de Parolini; O retorno de Ringo de Tessari; O Dólar Furado de Ferroni; Ódio e vingança ou Sua lei era a vingança de Mario Siciliano; Cemitério sem Cruzes de Robert Hossein dentre mais alguns. Essa posição torna-se inadmissível quando pelo mundo todo afora críticos e diretores de renome estão defendo a contribuição inestimável desses filmes para o cinema como um todo: Quentin Tarantino, John Carpenter,o cineasta inglês Alex Cox, o diretor e roteirista americano John Milius, pesquisadores de cinema como sir Christopher Fryling, Dr. Sheldon Hall, o historiador americano de cinema Richard Schickel, dentre muitos outros estão nessa linha.
    Como podemos perceber dentre os nomes temos os de muitos americanos que atuam no mesmo cinema americano e que hoje declaram abertamente que o Spaghetti influenciou indelevelmente o jeito de fazer filmes em Hollywood.
    Quem tem mais nome, Bilharinho ou esses citados acima? Devemos combater sim esse bom combate com as armas e as flechas dos argumentos bem fundamentados, abalizados e podemos contar com a interlocução e o apoio das palavras dessas ilustres personalidades. Esse é o nosso manifesto. Vamos muchachos. disparaem
    Isso mesmo caro Edelzio, o nome do homen é mesmo Guido Bilharinho e eu estava o tempo todo escrevendo como Brilharinho, fiz um trocadilho nas letras do seu sobrenome, ou foi um tocardilho? Valeu grande Edelzio, se você não me chama a atenção eu tava até hoje chamando o homem de trocadinho, epa! Brilharino.
    Eu costumo fazer isso.

    ResponderExcluir
  14. Mensagem via E-mail de LeMarc

    Livro Bilharinho
    Muito obrigado, Eldézio!

    Parece que você estava adivinhando. Publiquei hoje mais um pouco sobre a história do western no Sarrabulhada Cult, e estou, obviamente, caminhando em direção ao western europeu. Eu não li esse livro. Parece que ele está esgotado, né? A visão dele sobre o western europeu está um pouco fora da realidade. Vou discutir no momento oportuno o western europeu e esse material cai como uma luva.
    Acho que você percebeu que encaro como uma pequena missão ajudar a mostrar a face real do eurowestern. Espero conseguir contribuir nesse sentido.

    Um grande abraço!
    LeMarc

    ResponderExcluir
  15. Isso mesmo, mostrar a real face do eurowestern. Assim fica bem melhor.Fazer uma pesquisa séria isenta de preconceitos.A discussão aberta por você LeMarc certamente esclarecerá muitas dúvidas aos aficcionados do gênero bem como alertará os iniciantes quanto aos perigos de emitir opiniões apressada e preconceituosamente.Que seja bem vinda sua discussão Le Marc.

    ResponderExcluir
  16. O Pedro Pereira citou o Spaghetti "Un colt in mano del diavolo". Esse é novo para mim, estou curioso e vou acessar o link postado por ele. Vamos lá conferir

    ResponderExcluir
  17. Olá amigo
    Gostaria muito de poder baixar o filme de Robert Woods - STARBLACK
    Se postar na Internet ficarei muito grato...
    Paulo Nogueira

    ResponderExcluir
  18. Desculpe, se estiver utilizando este espaço indevidamente é que eu procurei o seu email para fazer contato e não encontrei,eu estou a procura do Album do Billy Vaught - Golden Themes From Western Films, se você tiver o link deste album eu lhe agradeço o meu email esta ai disponivel para você caso deseje algum comentário,obrigado e desculpe,seu blog é fantastico,parabens.

    ResponderExcluir
  19. Adilson você está utilizando o espaço corretamente, tendo em vista uma das prioridades do blog é resgatar as músicas e as letras das canções western e esse Billy Vaught pra mim é novidade. Confesso que não conhecia mas farei alguns contatos e veremos o que conseguimos, ok?
    Não vi seu e-mail, mas pode deixar aqui que não será divulgado ok?

    ResponderExcluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: