Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

16 setembro 2011

Robert Woods Entrevista Exclusiva Brasil-Portugal 2011

Após a realização do Espaghetti Western Festival 2011 realizado em Março em Hollywood Califórnia, iniciei um contato direto com o grande ator e ícone do Euero-Western “Robert Woods”. Este contato começou em Agosto de 2011 e percebi que estava mesmo estabelecendo uma amizade não só como fã mas sim de grandes amigos, pela grande simpatia e humildade deste grande ator.
Conversamos muito sobre o assunto e Bob como também é chamado conheceu o nosso Blog e elogiou o trabalho que eu vinha desenvolvendo para preservar a imagem e a história deste seguimento e seus idealizadores.
Sabia que Robert Woods tinha muita coisa pra contar e por que não responder algumas perguntas aos fãs do Brasil e também Portugal.
Solicitei a ele se seria possível realizar uma pequena entrevista com ele e ele com muito respeito aos fãs ficou muito empolgado em cedê-la dizendo:
“Obrigado meu amigo, pois são algumas memórias magníficas. Eu ficaria mais que feliz em ser entrevistado por você. Já existe uma quantidade incrível de coisas na internet e agora no myspace, youtube, facebook e vários sites sobre Spaghetti Western / European Film. Seu Blog no Brasil tem sido uma grande aventura e agradeço todos os meus amigos e fãs que fazem tudo isto”.
Estou encaminhamento este e-mail para o meu gerente, Sal Silbergandio. Ele vai adorar. Obrigado mais uma vez. Consultei vários fãs freqüentadores do Blog e pedi para que cada um formulasse a sua pergunta para ele, ajudando-me a realizar a entrevista no que se tornaria não só minha, mas dos próprios fãs.
Aproximadamente após um mês de preparação, consegui elaborar o questionário da entrevista e enviá-lo e prontamente em uma semana foi respondido por Robert Woods atendendo aos curiosos fãs brasileiros.
Nunca no Brasil tivemos a chance desta conversa com ele e esta é uma grande oportunidade para sabermos mais sobre sua performance pelo cinema Europeu e de sua carreira, sabendo-se que tem mais de cinqüenta trabalhos internacionais de destaque.
São perguntas feitas por fãs de várias regiões do Brasil.
Então vamos a nossa entrevista:
Nascido em 13 de Março de 1936 em São Francisco, residente em North Hollywood na Califórnia, casado com Susanna Woods, trabalha ativamente hoje como ator, modelo, musico, escritor e escultor.
1-Seu primeiro Western Espaghetti (“5000 Dollari Sull´Asso – Itália * Los pistoleros de Arizona – Espanha * Five Thousand Dollars on One Ace – USA * 5.000 Dólares no Az –Brasil (1965) como ator você encontrou um diretor Alfonso Balcazar italiano, atores italianos, espanhóis e alemães como o ator Helmut Schimid e outros. como foi para superar essa diversificade de idiomas?
Bob Woods:
"Arizona Gun" foi uma Co-Espanhol / Italiano / Alemão produzido pela primeira vez. O primeiro filme Euro-Western produzido realizado Pelo Balcazar Estudios em uma Vila em Barcelona na Espanha.
Sim, houveram problemas com os idiomas, mas o filme foi rodado para ser dublado na pós-produção. A fim de dar ao filme uma qualidade convincente, aprendemos todo o roteiro em cada uma das nossas línguas para que pudéssemos entender completamente o que estava sendo dito e agir e reagir de forma realista. Como um primeiro esforço desta natureza, que todos nós trabalhamos muito duro para isso e o resultado final, foi que o filme foi comprado pela MGM nos Estados Unidos, dando origem ao início de uma tendência Euro-Oeste. E surgiu a Incrível frase americana. “Tragam os seus cavalos”.
2- Meu nome é Marcos M. Lima de Minas Gerais – Brasil e a primeira vez que assisti a um Western foi este “Sete Pistolas para os Mac Gregors” no cine Santo Antonio na pequena cidade do interior chamada “Passa Tempo” e desejo-lhe paz e saúde hoje e sempre e quando vier ao Brasil, irei onde estiver para conhecê-lo pessoalmente ok? E agora...
Em seu terceiro Western Espaghetti “Sete Pistolas para os Mac Gregors” (1966) você fez o personagem Gregor Mac Gregor ao lado de muitos outros bons atores como Alberto dell Ácqua , Leo Anchoriz, Fernando Sancho; lindas atrizes como Agata Flori, Perla Cristal e até mesmo ator português Chris Huerta com direção de Franco Giraldi que foi filmado em Guadix-Colmenar Viejo na Espanha.
Com música de Ennio Morricone, este foi o Western que fez Robert Woods ser lembrado definitivamente neste gênero?Bob Woods:
Para Marcos Lima de Minas Gerais. Obrigado por sua amizade. Sim, Marcos, depois de “Arizona Gun”, Fiz pela Columbia Pictures, "Sete Pistolas para os McGregors" e foi provavelmente o verdadeiro começo de uma carreira duradoura. Filmado em Guadix, uma área cincundante em Almería na Espanha. Local muito bonito e as pessoas são ótimas. Foram ótimas lembranças desta região.
Dos atores que você mencionou, Leo Anchoriz, Chris Huerta e, claro, Fernando Sancho e eu estávamos sempre juntos. Eu realmente gostei de trabalhar com Franco Giraldi, um diretor muito inteligente, o trem e música de Ennio Morricone foi uma grande contribuição para a atmosfera deste filme. Tudo em tudo; Foi divertido fazer o filme. Após muitas propostas na mesa, o produtor Dario Sabatello me ofereceu o trabalho em uma sequencia para este “Sete Pistolas” e agora seria, "Sete Mulheres para os MacGregors," e eu relutantemente fui convencido a faze-lô, acreditando que a sequenia tinha pouco conteúdo e seria feito apenas como uma forma de lucrar ainda mais tendo em vista o sucesso do primeiro Mac Gregor. Eu queria fazer algo um pouco diferente!
3-Em 1967 o diretor Maurizo Lucidi e Adriano Bolzoni criaram o pistoleiro Pecos Martinez.
Neste ano “Meu nome é Pécos” vemos Robert Woods torturado tentando proteger um barril de dinheiro dos bandidos. Com participação de Lucia Modugno, Peter Carsten, George Eastman, Peter Martell, este foi um faroeste com uma história séria e sombria parecido com Django.
Em 1968 Maurizio Lúcidi filmou o segundo e último “Pecos Vem para Matar” (Pecos è qui: prega e muori – Pecos Cleans Up).
Com Luciana Gilli, Pedro Sanchez, Erno Crisa e outros que envolvia um grupo de músicos a procura do tesouro de Montezuma. Aqui Lucidi fez uma comédia.
Pergunta do escritor Cesár Augusto da Editora Argonautas e http://bmovieblues.blogspot.com/ do Rio Grande do Sul - Brasil: Como você sentiu a diferença do Pécos Sério e o Pécos Comédia?
Como foi trabalhar com Pedro Sanchez (Ignácio Spalla) também muito querido no Brasil?
Bob Woods:
"Meu nome é Pecos” era o filme que eu procurava em fazer. Adriano criou um personagem muito interessante, Maurizio Lucidi foi um diretor muito bom. Demofolo Fidani e Mila Viltelli criaram a maquiagem e figurinos para ele. Ele veio muito bem juntando-se a um Euro-Western quase surreal. Seu sucesso no mundo inteiro, foi fenomenal, produziram-se uma infinidade de novos scripts que foram servidos de bandeja. O elenco e a equipe trabalhou em harmonia para torná-lo memorável e sim amigo Cesar Augusto; Pedro Sanchez foi uma das minhas pessoas favoritas, profissional e surpreendentemente humilde. Eu gostei de trabalhar com ele e fizemos uma parceria em "White Fang" alguns outros filmes juntos e anos mais tarde e a sequencia de "Pecos" (uma comédia) foi o único em que eu concordei prontamente em fazer, porque Cesar, era completamente diferente. Cesar eu realmente gostei de ambos... das trevas à luz...
4-Um filme muito cultuado não só entre os fãs no Brasil mas em todo o mundo é o filme “Sua lei era o Colt” (Prega Dio... e scavati la fossa - Pray to God and Dig Your Grave - 1968) com um personagem inesquecível e sério “Fernando Camayo”.Com Jeff Cameron, Cristina Penz, Demofilo Fidani (aqui como ator) e a primeira aparição de Simone Blondell (Simonetta Vitelli) no Western. Pergunta Clovis Arruda do site (http://www.sospaghettiwestern.com/), restaurador e colecionador que possui todos os seus filmes;
Como foi fazer este e mais seis Filmes Westerns neste ano? Como era o ritmo das filmagens?
Existe um amante por Pécos (Robert Woods) chama-se Clovis Arruda. Marcou muito na minha infância. Bob Woods:
Estou feliz que tenha gostado dos filmes "Pecos" Clovis eu acredito que eles são os meus favoritos. "Reze a Deus...e Cave sua sepultura” exibido no Brasil como “Sua Lei era o Colt” foi um dos dois filmes que fiz com o diretor Eduardo Mullargia. O cenógrafo foi novamente Demoflo Fidani, Simone Blondell fez o papel da enteada, Mila Vitelli, filha encarregada dos trajes (Costumer). A atriz Simone Blondell era muito bonita, lindos olhos e uma boa atriz. Ainda nos comunicamos hoje pelo Facebok. Eu gosto muito dela. Naquele ano, você está correto Clovis, eu fiz sete filmes e ao terminar este ano eu estava exausto, mas eu literalmente tentei criar algo diferente em cada um e eu gostava de cada cena que fazia, cada suspiro, em cada um deles. O clima nos sets de filmagens, admito que, às vezes, tornou-se um pouco tenso mais no final do ano, mas dentro de todos os filmes que eu fiz, o elenco e a equipe tornou-se uma família de colaboração ampla, tornando-se muito difícil dizer adeus quando tudo acabou. Eu amei trabalhar na Europa. Obrigado Clovis e, graças à infinidade de fãs que gostava e ou ainda gosta de meus filmes, continuei e me mantive em ação ...
5-Um Westerns que não poderíamos esquecer de falar é sobre “Starblack” filmado na Itália e Alemanha em 1968. Um personagem típico de Histórias em Quadrinhos como o Zorro e seu fiel escudeiro, Superman, Robin Hood, Batman.
Grimaldi conseguiu passar a imagem do super-herói em um divertido 'Starblack'. Bob você foi Johnny Blyth que regressa para a casa no Colorado e vê o seu povo refém dos poderosos corruptos locais e mascarado faz justiça deixando uma estrela como símbolo; O “Z” de Zorro.O que achou deste personagem?
Bob Woods:
Em 1968, eu estava morando em Madrid, Espanha, quando recebi um telefonema e uma passagem para voar para Londres para fazer um Country e Western, uma gravação chamada 'I Wish It Would "para Phillips / Fontana e enquanto eu estava fora, eu perdi um telegrama solicitando-me para ir a Roma para fazer um outro e diferente tipo de Western chamado 'Starblack' , uma proposta para um produtor chamado Paolo Moffa. Naquele momento fiquei sabendo que tinham contratado Brett Halsey (Montgomery Ford), foi quando eu finalmente recebi um telefonema deles, e me mandaram um bilhete insistindo para que eu fosse para a Itália de qualquer maneira para fazer “Starblack”. Foi uma longa história e ainda mais longa porque, eles tiveram que pagar o que tinham prometido a Brett que havia concordado e contratou-me de qualquer maneira. Eu pensei que Brett não estivesse feliz sobre isso, mas ele garantiu-me mais tarde que ele não gostou foi da idéia de cobrir seu bonito rosto com uma máscara.
Mais tarde ele se tornou um dos meus amigos mais próximos e ainda é até hoje. Pessoalmente, eu sempre gostei de “The Lone Ranger – Zorro, O Justiceiro Mascarado” quando eu era um menino.
Quando cheguei em Roma, eu assinei o contrato e porque eu tinha ido fazer uma gravação na Inglaterra, eles imediatamente me transportaram para um estúdio e me fizeram gravar a música tema para o filme com o maestro Benedetto Ghiglia. Eu realmente amei esse filme, eu cantei, mas eu realmente não toquei a guitarra (eu tocava trompete e trombone-de-vara; eram meus instrumentos quando eu tocava em bandas jovens americanas). Starblack não foi tão violento como a outros ofertados para o Spaghetti Western. Foi um filme classificado como “Leve”. O fabuloso diretor siciliano Gianni Grimaldi foi excelente e o filme foi bem sucedido.
Um efeito colateral de Starblack foi que eu “fiquei de cabeça para baixo” pela atriz alemã Elga Andersen e vivi em um estado de turbulência caótica por ela por seis anos após o filme, em Roma. Após os disparos, nós tivemos umas férias maravilhosas com Gianni, seu filho Aldo Grimaldi (que foi o segundo diretor do filme) e pelo resto de sua família de pescadores com a boa comida de Catania .
"Starblack" era um filme “cross-roads”. Uma escolha a ser feita. Música ou Filme? Eu acho que fiz a escolha certa.
6-Helo Robert Woods
Meu nome é Paulo e moro em Patrocínio - Minas Gerais – Brasil, sou proprietário de uma Vídeo-Locadora e redator do site www.eurowesternnobrasil.blogspot.com e gostaria de saber; Trabalhando com Anabella Incontrera, Nieves Navarro, John Ireland, Etore Mani, Frank Braña, Fernando Sancho, Teodoro Corrà, Gabriela Giorgeli, Donald O´Brien, e muitos outros astros que foram os pioneiros na criação deste gênero, Bob, você poderia lembrar alguns momentos curiosos alegres e inusitados durante as filmagens destes filmes.
Qual a mensagem que estes filmes deixaram para todos?
Bob Woods:
Acho que tenho uma história ou duas com cada uma das pessoas que você mencionou, mas Paulo a maioria delas são bastante pessoais, divertido, mas privada. Eu conheci Donald O'Brien quando eu estava trabalhando no teatro, em Paris, antes de começar a trabalhar nos filmes. Nieves Navarro, Etore Mani eram bons para trabalhar, mas nós éramos apenas conhecidos. A sensual Annabella Incontrera seria a história de John Ireland. Gabriella Giorgeli foi uma grande amiga quando nós estávamos trabalhando em Mallory (Il mio nome è Mallory... M come morte 1971). John Ireland e eu fomos amigos muito apegados. Ele também tinha um restaurante de luxo em Santa Barbara chamado Irlanda. Quando voltei para casa na America em 1978 ele promoveu um jantar maravilhoso de boas-vindas para mim. Deve ter lhe custado uma fortuna. John e eu éramos amigos muito próximos. Jimmy Coburn, Henry Fonda e Charlie Bronson também foram amigos íntimos e eu sinto falta deles todos. Mike Forrest, Richard Harrison, Mark Damon, Alex Cord, Brett Halsey e eu parecemos ter vividos juntos em vidas passadas e continuamos amigos depois de todos esses anos. Acho que a mensagem é: Divertir-se, aproveitar a vida, fazer o que puder e nunca arrepender-se sobre o que você não fez.
7-Hello Bob
Sou Aprigio de Oliveira de Feira de Santana – Velha Bahia - Brasil (aprigiohistoria@yahoo.com.br) Historiador e sou um grande fã de sua carreira e pergunto a você?
Dentre todos os seus trabalhos para o cinema com ator de Ação, Fantasia, Policial, Drama e outros; Especificamente no Espaghetti Western, qual o filme que você mais gostou de ter feito? Porque?
Se houvesse uma convenção sobre o assunto e fosse convidado a vir ao Brasil, você poderia vir para participar?
Bob Woods:
Essa é uma pergunta difícil para mim, Aprigio. Havia alguma coisa em cada um dos muitos filmes que eu fiz que me fêz feliz mas eu acho que o que eu mais gostei de fazer foi “Battle of the Bulge”, filme de guerra de 1965 com Henry Fonda, principalmente por causa de ao longo da vida a amizade que firmei com depois disso; Gatling Gun (O Maldito dia do Fogo), Sete Pistolas para os Mac Gregors, Meu Nome é Pecos, Hypnos e Starblack são os meus favoritos. Sem mencionar alguns títulos dos próprios filmes que foram decepcionantes para mim, mas meu objetivo em cada um foi para variar meus papéis e desafiar-me a criar um personagem diferente para cada filme mantê-los honestos.
Espero ter conseguido, pois se o sucesso, o volume de trabalho e a longevidade que consegui depois de mais de cinqüenta filmes internacionais em todos esses anos que passaram, acredito que eu esteja fazendo a coisa certa. Tenho sido honrado pelo meu trabalho. No Torino Festivais de Cinema de Veneza e aqui nos EUA em 19 de março 2011 no The First North Hollywood Spaghetti Western Festival. Eu perdi o Primeiro Festival em Almeria este ano, mas sim Aprigio, eu faria meu melhor para poder participar se fosse convidado para uma convenção de filmes na América do Sul. Eu nunca fui ao Brasil mas a minha primeira esposa com que fui casado por 12 anos era Portuguesa (Eu fui casado duas vezes e o último agora à 32 anos.)
8–Alô Bob my name is Emanuel Neto (http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com/) de Portugal
-Fale um pouco de suas atividades atuais e como se sente no que faz hoje?
Bob. Woods:
Em resposta à sua pergunta Emanuel Neto: Não estou trabalhando tanto, mas eu ainda faço um pouco a cada ano. Este ano, Danny Garcia de Almeria me enviou um script chamado “Dólares From Hell” e me ofereceu o papel de um homem mau, juntamente ao lado de Dan Van Husen que está programado para começar em Novembro 2011 e no próximo ano (2012), estamos finalmente se locomovendo para as filmagens de “The Hit Man´s Bible” (título provisório) com a Direção de Sal Silbergandio. Meu papel é o protagonista de um homem que chega ao envelhecimento e que se tornou religioso e não realizará uma tarefa a menos que tenha implicações bíblicas.
Alô Bob meu nome é Pedro Pereira (http://por-um-punhado-de-euros.blogspot.com/) de Portugal
9-Quais são seus projetos para o futuro? Pensa em retornar ao cinema?
Bob Woods:
Estou ainda trabalhando muito hoje? Quando eu era jovem eu não podia suportar ver-me na tela, mas agora que estou mais maduro, eu adoro assistir a filmes antigos e eu me vejo cheio de orgulho, e muito mais tranquilo, divertindo-me com eles. Será que eu realmente fazia todas aquelas malditas acrobacias estúpidas? A resposta é, infelizmente “sim”, mesmo que eu tivesse um implante de metal no meu quadril esquerdo, este ano eu estou de volta me sentimento muito bonito e invencível como eu fiz no passado. Eu ainda amo o trabalho, mesmo as acrobacias, mas inteligente o suficiente para fazê-las com moderação.
10-Qual a perspectiva dos fãs verem-no novamente no cinema independente do gênero?
Bob Woods:
Novos projetos? Bem, como eu disse, Pedro, “Dólares From Hell” parece estar agendada para Novembro Vamos ver... “The Hit Man´s Bible” serão definitivamente os próximos que estarei fazendo.
11 - Voce pensa em deixar para os fãs uma biografia como exemplo Anthony Steffen deixou no Brasil ? (Foi escrita por fãs). (http://www.colombo.com.br/produto/Livros/Anthony-Steffen).
Bob Woods:
Uma auto-biografia? Atualmente, estou escrevendo uma espécie de reminiscência minha estranha e interessante (eu tenho dito) experiências e viagens na minha vida. Espero poder terminá-lo. Não é difícil lembrar, mas é difícil sentar e escrever.


12-Você aceitaria propostas de trabalhos para interpretar papeis coadjuvante, com densidade e adaptado à sua personalidade?
Bob Woods:
Eu faria pequenos papéis e participações em filmes estrelados por outra pessoa? Sim e eu não aceitaria alguns tipos de trabalho que não me atraíssem, mas apenas bons papéis significativos; Em outras palavras, eu não faço, só por fazer; Se ele beliscar a minha criatividade, estarei sempre pronto a fazê-lo.
13–Esta é uma questão muito importante em saber sua opinião: Conhecendo-se hoje a Internet, o que você pensa sobre as Leis de Direitos Autorais?
Bob Woods:
A s leis de Direitos Autorais se tornaram a única maneira de proteger-se de plágio (plagarism), Edelzio. Qualquer um que escreve de forma criativa scripts, livros ou material cotável hoje na América, protege-se mediante o pagamento de serviço do “Washington Nacional de Direitos Autorais” para registrar o material. Material criativo também pode ser registrado com “Guilda” do escritor e também a maioria dos escritores registram seus trabalhos no “Faux”, que pode ser enviado lacrado com cópias do trabalho protocoladas carimbadas e registradas nos Correios que podem ficar com o próprio autor da obra permitindo validade dos direitos Eu pessoalmente uso os três métodos para a proteção máxima.


14-Como se sente hoje sabendo que a quantidade de seus fãs é tão grande como em épocas remotas. O que você diria?
Bob Woods:
A internet é muito útil nos dias de hoje, Edelzio. Sem ela, nossas bases de fãs, o círculo de amigos não poderiam ter se ampliado e crescido ao que são eles no mundo hoje. Voltei para a América antes do grande impacto da Internet naquela época, e com isso, muitos dos meus fãs Internacionais perderam a noção e o contato de meu paradeiro e alguns até pensaram que eu estivesse morrido. Acredito que a internet é responsável por recuperar e expandir a minha base de fãs original. Com a expansão mundial, eu também tenho tido aumento nas ofertas de trabalho no exterior e em casa. Pessoalmente, estou muito grato por isso e em resposta à sua última pergunta Edelzio. A maioria de nós temos boas lembranças do nosso tempo de trabalho no exterior e um amor pelos filmes que fizemos lá. Todos nós temos nossos filmes em coleções em VHS ou DVD. Há um ressurgimento de novos fãs e mais jovens por causa da internet.
Quase todos os filmes de ação realizados hoje, tem um toque ou mais da influência Eurofilm, da violência com a música. Ele lançou a carreira de Quentin Tarantino por exemplo, e que ele próprio admite.
“Pessoalmente, estou orgulhoso de ter feito parte do que era verdadeiramente criativo”
“É divertido olhar para trás e (considerando todas as acrobacias que eu fiz nesses filmes), eu estou feliz de ser recompensado em vida”
.
-Infelizmente alguns de seus filmes como: La spacconata "White Fang and the Gold Diggers" – USA (1974) com Pedro Sanchez e Zanna Bianca e il cacciatore solitario (1975) ainda não foram exibidos no Brasil e nós colecionadores e preservadores já estamos trabalhando para que isso aconteça.
-Sei também que parece estar bem acessorado com Sal Silbergandio, um grande diretor e fotógrafo que trabalhou para que esta entrevista fosse concretizada.
-Fico contente em perceber através de fotos na internet e Facebok, a simpatia, a alegria e respeito que você tem para com os fãs e a todos que o cercam. Saiba você que independente de tudo, os fãs sempre serão fãs onde, quando e como estiver, como disse para a minha amiga Nicoletta Machiaveli e ela gostou muito desta frase.

-Nunca no Brasil tivemos a chance desta conversa com você e foi uma grande e histórica oportunidade para nós.
-Imagine que são gerações que viveram aquelas emoções em uma época ingênua e que vivem boas lembranças hoje daqueles tempos, e tentaremos trazer outros atores para contar um pouco de suas histórias para os brasileiros nesse espaço. Você foi o pioneiro. Estou contando com outros grandes nomes nesse espaço.

-Esteja a vontade para deixar sua mensagem ao Brasil que aguarda ancioso suas palavras e saiba também que você é mais popular hoje por aqui de que antigamente.
Bob Woods:
Sou grato pela amizade e em participar deste espaço.
Espero que as respostas às suas perguntas sejam satisfatórios, Edelzio. Meus cumprimentos a todos...Muito obrigado...

Eu gostaria de deixá-los com um pensamento, não apenas sobre a minha carreira, mas as metas de todos na vida:
O destino não acontece, é um desejo perseguido, um grande sonho, Sonhos agradáveis.

24 comentários:

  1. Comentário via E-mail
    Marcos M. Lima - Belo horizonte - Minas Gerais -Brasil.

    Edezio
    Pecos é um grande sujeito, pois ele é Robert Woods.
    Parabéns e obrigado pela genial entrevista.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, mestre Edelzio.
    Ótima entrevista do Robert Woods.

    Só não vi dos seus filmes, ainda, o “5.000 dólares no Az”. Acho que o personagem Pecos, ficou indissociável do ator. Quando vi outros filmes dele, eu estava na realidade vendo Pecos. “Meu nome é Pecos” é um título forte, com cenas iniciais inteligentes e incomuns: Um pistoleiro mexicano desarmado, cansado, andando à pé, com uma sela nas costas, deixa logo o expectador se perguntando em que aquilo vai dar?
    Vi “Meu Nome é Pecos” pela primeira vez, quando era um garoto. Este nunca saiu da memória.
    “Meu Nome é Woods - Bang!”

    ResponderExcluir
  3. Eu publiquei no meu mural do facebook um álbum com imagens de Robert Woods [https://www.facebook.com/media/set/?set=a.172085692871671.43507.100002107248175&type=1], cuja amizade me foi ofertada há vários meses. E ele me disse ontem o quanto estava feliz com esta homenagem. Muitas perguntas sobre sua carreira já me foram respondidas através de nossos contatos. E eu fico feliz que ele seja essa pessoa simpática e extremamente atenciosa com fãs veteranos como eu, que tive a felicidade de ver vários de seus filmes no cinema, ainda na minha pré-adolescência, quando, através de uma carteirinha com idade adulterada, eu conseguia burlar a censura. Mas quando se é cinéfilo inveterado vale tudo, não? E pelo meu amado western italiano eu sempre fiz de tudo e ainda faço: minha arte profissional como design e músico, minha coleção de trilhas, filmes, álbuns de recortes, como um que compartilhei com o amigo Edelzio, etc.

    ResponderExcluir
  4. Bravo! Bravo! Excelente entrevista!
    Edelzio, já admirava, mas admiro muito mais o cara, depois de ler essa entrevista e percebê-lo melhor. Pécos e Woods são realmente gente diferenciada.
    Achei muito boa a forma como você realizou a entrevista. Parabéns!

    LeMarc

    ResponderExcluir
  5. A Humildade, a atenção e a valorização que Robert Woods prestou em realizar esta entrevista, prova que alem de grande ator é também uma grande pessoa acima de tudo.

    ResponderExcluir
  6. Comentário via E-mail Emanuel Neto - Portugal

    Excelente entrevista com Robert Woods. É mais um belo momento de descoberta que proporcionas aos fãs de western-spaghetti!

    Ótimo trabalho e parabéns!
    Um abraço!
    Emanuel Neto

    ResponderExcluir
  7. Maravilhosa entrevista com Robert Woods. As ansiosas perguntas dos fãs estão lá, inclusive a minha. Só faltou faltou aquela que queria saber se ele não gostaria de fazer novos spaghettis.Poderia se juntar ao Franco Nero que anda doido para voltar a cavalgar no mítico western italiano

    ResponderExcluir
  8. Maravilhosa entrevista com Robert Woods com destaque para as ansiosas perguntas dos fãs, inclusive a minha. Só faltou aquela que queria saber se gostaria de voltar a filmar westerns Spaghettis. Ele poderia se juntar ao Franco Nero e buscar financiamentos na Itália e na Alemanha como antigamente, aproveitando esse momento de revivals no mundo inteiro.
    Vamos muchachos, disparem.
    Valeu Edelzio. Gostei de sua foto posando junto à estante com sua DVDTECA

    ResponderExcluir
  9. Acho que aos poucos tudo oque foi bom está retornando. Vamos aguardar o "Django de Tarantino" para Dezembro de 2011 com a participação de Franco Nero e ver o que vai acontecer!

    ResponderExcluir
  10. Tarantino é um cineasta genial, vamos esperar. Ele já merece por antecipação um David de Donatello, um Leão de Ouro e um Urso de não sei o quê, me esqueci... é a emoção, e também um Oscar pelo reconhecimento e divulgação que está fazendo do gênero.Este sim é realmente um homem inteligente,além de outos arautos do Spaghetti pelo mundo.

    ResponderExcluir
  11. Mensagem via E-mail de Darci Fonseca.
    Olá, Edelzio
    Que bela entrevista. Você está de parabéns, extensivos, claro, à gentileza do Robert Woods. Parabéns pelo blog e pelo seu amor pelo bang-bang à italiana.
    Darci Fonseca - CINEWESTERNMANIA

    ResponderExcluir
  12. Robert Woods Comentou via E-mail
    Robert escreveu: "Thanks Edelzio, for taking the time to include me on your blog..."

    ResponderExcluir
  13. Comentário via E-mail: Hadson
    Mensagem: Descobri este blog hoje. Ele é fantástico!!!Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  14. Mensagem via E-mail de Danny Garcia Promotor do Evento Almeria Western Festival Film 2011
    Edelzio,

    La prensa se encargó de comunicar los ganadores del Festival: Aballay de Fernando Spiner (mejor película) y The Warrior's Way de Sngmoo Lee (premio del público).
    Culturalmente el Festival ha sido un éxito y mediaticamente también aunque faltó un poco más de participación del publico de Almeria.
    Ya estamos hablando con las instituciones locales para trabajar juntos para el AWFF 2012.

    Gracias por tu apoyo.
    DG
    ALMERiA FESTIVAL 2011
    awffinfo@gmail.com

    ResponderExcluir
  15. Mensagem Via E-mail de Lulinha Carvalho
    Cabo de Santo Agostinho - Pernambuco - Brasil

    Palmas pra voce Edelzio.
    Por essa entrevista maravilhosa comcom Robert Woods, o Pécos, ele ainda está vivo e é uma ótima pessoa. É graças a você Edelzio, por trazer tantas informações pra nós fãs do Spaguetti Western. Você poderia ser um grande historiador deste assunto no Brasil.

    ResponderExcluir
  16. Grato pelos elogios e porque não talvez algum livro ou coisa parecida em um projeto futuro?
    Todo mundo hoje escreve livro. Até a Bruna Surfistinha tem livro.
    Por enquanto vamos ficando aqui. Esse é meu objetivo. Informar aos fãs deste seguimento o melhor que conseguir.

    ResponderExcluir
  17. Comentário via E-mail de Robert Woods

    Dear Edelzio...

    Thank you my friend, for some magnificent memories... I would be more than happy to interview with you... There is already an incredible amount of stuff on the internet now... some of it on myspace, youtube, facebook and various Spaghetti Western/European Film sites... Its been quite a ride and I appreciate all of my friends and fans who have made it so...

    I am forwarding this email to my manager Sal Silbergandio... He will love it...

    Thanks Again...

    All The Best,

    Bob

    ResponderExcluir
  18. Olá, Edelzio. Belíssimo trabalho esse com o simpático Robert Woods para os fãs do gênero. Mas você podia ter colocado uma foto melhor da Elza. Essa não faz jus à sua beleza. É fácil de ser achado o Filme em que ela interpretou Belle Star?
    Rapaz, você se tornou um fenômeno no CINEWESTERNMANIA. Fenômeno de acessos e de comentários, acendendo uma discussão que até agora não se apagou.
    Grande abraço do Darci

    ResponderExcluir
  19. O amigo Bob agora está fazendo um bom trabalho no facebook localizando antigos atores para que voltem a conversar com seus fãs.
    Isso é muito legal porque aos poucos, muita gente que estava afastada retorna a mídia e conta suas histórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assistir STARBLACK que grandeza de spaghetti, é de primeira linha um deleite para os olhos de emoção e satisfação, com esse maravilhoso ator, o Robert Woods, confesso que fiquei emocionado com a cena do STARBLACK o Robert Woods, cantando a canção tema do filme, graças que temos estas relíquias resgatadas em DVS, abraço nosso compañero Edelzio e estamos aí para o que der e vinher, nesta luta incansável em prol dessa belíssima cultura, que é os spaghetti Italino.

      Luiz Carvalho

      Excluir
    2. Fico feliz também em saber que fiz mais um fã ainda mais feliz assistindo a um filme desejado.

      Excluir
  20. Olha só Edelzio, que pessoa bacana e amigável o Robert Woods, uma cena que acho muito engraçada, é a do filme El Puro O Procurado, quando ele faz um duelo sentado em uma cadeira, ele saca à arma com grande rapidez e coloca bem rápido na catucheira, depois fica olhando para a palma das mãos, interessante.

    Luiz Carvalho.

    ResponderExcluir
  21. por onde anda Tony anthony ator por um dólar entre os dentes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma das últimas informações que tive, foi através de um video no youtube, em uma entrevista para um repórter americano quando no seu relançamento de "Comin at Ya" em 3ª dimensão remasterizado com tecnologia atual, mas sabe-se que é um empresário bem sucedido no mundo da mídia cinematográfica.

      Excluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: