Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

01 maio 2010


Com a direção de Joaquin Luis.Romero Marchent, e com a produção de Grimaldi-Manzanos realizaram também "I 3 spietati" (Os 3 impiedosos) com Ricahrd Harrison, Claudio Undari, Fernando Sancho com música de Riz Ortoloni), "I 7 del Texas" (Os 7 do Texas) e "La valle delle ombre rosse", (O vale das sombras Vermelhas), mas o estilo começou a tornar-se sério entre os produtores a partir do filme “Duello nel Texas” produzido pela “Jolly Film de Papi e Colombo” com seu primeiro western produzido: Duelo no Texas obteve considerado sucesso e então no início de 1964, o diretor de fotografia Enzo Barboni e seu colega e amigo Stelvio Massi, acabavam de assisitir o filme “La sfida Del samurai” (Yojimbo) di Akira Kurosawa, e conversando com Sergio Leone, um obscuro diretor ainda desconhecido em um bar disse-lhe que o filme era muito bom e a receita seria só transportar a ação para o Oeste Americano. Sergio Leone tinha US$ 200.000 e uma pequena sobra de película cinematográfica para aproveitá-la e filmar um western. Ele já havia trabalhado em (Os últimos dias de Pompéia, de Mario Bonnard em 1959); (O Colosso e Rodes de 1960, com Rory Calhoun e Lea Massari), (Bem Hur de William Wyler), ), (Helena de Tróia de Robert Wise). Sua eficiência chegou a tal ponto que quando foi Segundo Diretor (cenas de ação) de “Sodoma e Gomorra”, assinado por Robert Aldrich, muitos especialistas chegaram a lhe creditar o filme. Com esses míseros US$ 200.000 um péssimo orçamento, uma boa idéia seria um grande desafio, então entusiasmados procuram o roteirista Sergio Donati pedindo uma adaptação mas Donati recusou porque estava envolvido em vários outros trabalhos.
Leone não desiste e envolve Duccio Tessari e Ferdinando Di Leo que apresentam um script de 358 paginas intitulado "Il magnifico straniero".
Então foi só procurar a produtora “La Jolly Film di Papi e Colombo”,
A Jolly estava rodando um filme dirigido por Mario Caiano, "Le pistole non discutono" (As armas não discutem) com Rod Cameron e Dick Palmer, (Ennio Morricone já estava trabalhando a música deste filme) que foi temporariamente suspenso para a execução do filme de Leone que deveria ser feito em 6 semanas. utilizando-se das mesmas configurações em cenografia, locação, ambientação e extras, iniciariam as filmagens entre março e abril.
Um ator da tevê americana foi convidado, era Clint Eastwood, (que só foi chamado porque outros, mais conhecidos, como Richard Harrison e Charles Bronson, recusaram a oferta). Clint atuava no seriado americano Rawhide; um maestro compositor italiano chamado Ennio Morricone, e um operador de câmara chamado Massimo Dallamano também foram convidados, Leone fez o que supostamente esperavam, mais um western que seria refugado e sem saber que sua equipe perduraria por uma década nos Faroestes e mal podia imaginar Eastwood que Leone mudaria a sua vida para sempre assim como a de seus escolhidos.

Um comentário:

  1. Parabens pela iniciativa e pelo site,
    Tenhos os discos da triologia do "bang bang à italiana" em vinyl, e agora poderei ouvir-los em meu pc.
    Obrigado.

    ResponderExcluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: