Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

16 dezembro 2015

A Morte de Saturno Cerra [Começou sua carreira no Brasil em 1960] Especial Brasil

Nascido em 25 de Novembro de 1924 em Sebreño, Ribadesella, Asturias, Espanha, faleceu aos 91 anos de idade em 05 de dezembro de 2015 (sábado) na mesma cidade Riosellano.

Saturno Cerra Pendas, um homem de múltiplos papéis nos trabalhos que participou em dezenas de filmes e sublinhou ao longo de sua vida como um pintor, leitor ávido, ocasional e cozinheiro jogador de golfe amador.

Seu primeiro filme foi em uma telenovela brasileira, aqui na cidade de São Paulo, e de volta à Espanha se especializou em westerns americanos em terras de Almería, onde ele chegou a compartilhar o set de filmagens com atores consagrados como Clint Eastwood, Henry Fonda, Charles Bronson e Anthony Queen e com atrizes dramáticas como Sophia Loren e Claudia Cardinale.

Nos anos cinquenta, ele trabalhou em uma loja de departamento em Madrid e foi um entre aqueles que frequentavam os encontros de Gregorio Marañón e José Martínez Ruiz 'Azorín'.

Após a Guerra Civil, com apenas 15 anos, Saturno Cerra começou a trabalhar como operário em diferentes localidades de Ribadesella. Ele gostava de pintar mas como faltavam-lhe lápis e papel ele ocupava-se de esculpir imagens do desenho para a massa de cimento e areia.

Ele emigrou para Madrid e conseguiu um emprego em Galerias Preciados, estabelecimento fundado em 1943 pelo espanhol Pepin Fernandez. Ele se tornou uma estrela dependente, a ponto de chegar a faturar uma média de sete milhões de pesetas por ano.

Mas Madrid e a miséria do do pós-guerra na Espanha gerou-lhe preocupações paraa decisão de emigrar.

Ele partiu em peregrinação pelas embaixadas do Canadá, México e Austrália, onde lhe negaram o visto para entrar no país pois requisitavam referências familiares ou empresariais.

Um dia, bateu na porta da embaixada brasileira, onde fora aberta e em menos de de vinte e quatro horas de viagem partindo de Barajas, já estava em São Paulo, Brasil. Uma cidade que fez de tudo para tornar a ganhar algum dinheiro diariamente.

Até que um amigo o sugeriu para que ele participasse das filmagens de uma novela e logo depois veio um papel aceitável no filme “Bruma Seca” [nome dado a um fenômeno natural nas nuvens] (1960),
interpretando o personagem “Ricardo”, um defensor do garimpo de diamantes de seu pequeno povoado na selva amazônica que estava sendo tomado por invasores herdeiros da cidade grande.

Foi creditado como “Saturnino Cerra”, ao lado de atores consagrados como Adoniran Barbosa e Francisco Egídio em um filme totalmente filmado e dirigido no Brasil pelo diretor e produtor italiano Mário Civelli que dirigiu vários filmes no Brasil e após este filme foi o que também ajudou a projetar Cerra ao cenário cinematográfico.

Nota: no site IMDB.NET não aparece nos créditos mas no prólogo do filme seu nome é creditado.

Em 1963 ainda no Brasil atuou no filme “O Cabeleira” [Se incontri Django cercati un posto per morire (Itália)] e foi também Cenógrafo [produtor de Design] sob a direção de Milton Amaral, renomado diretor brasileiro e Cerra pode compartilhar mais uma vez o set com grandes atores brasileiros como Enoque Batista e Ruth de Souza.

[Se Incontri Django Cercati Un Posto Per Morire (Itália)]

Não sei por qual motivo este filme somente fora lançado na Itália em meados de 1970. É um filme sobre o cangaço brasileiro que pode ter sido censurado na Europa por excesso de violência. Não consegui identificar o ator neste filme.

A música de Edmundo Peruzzi é tipicamente regional nordestina do Brasil.
Acredito que pode ter havido uma parceria na trilha. O dinheiro era escasso e se mudou para a cidade de Santos no Estado de São Paulo, Brasil, onde encontrou um oásis extraordinário para vender dezenas de suas pinturas para um casal de americanos, exportadores de café que se comprometeram a comprar todas as suas obras inclusive as que seriam ainda pintadas.

Ele retornou à Espanha em 1964 para visitar sua mãe em Sebreño e uma viagem posterior a Madrid colocou-o no caminho de Almeria, onde conheceu o diretor Mario Caiano quando rodava seus Espaghetti Westerns o qual lhe deu um papel em (Frente a Frente com os Pistoleiros/Um Caixão para o Xerife – Brasil - 1965) [Una bara per lo sceriffo] como pianista no saloon, e logo outros papeis surgiriam e acabaria conhecendo O diretor Sergio Leone que também lhe concedeu uma participação em dois de seus westerns clássicos.

Foram em “Três Homens em Conflito – Brasil -1966” [Il buono, il brutto, il cattivo] como Caça Recompensas e em “Era uma Vez no Oeste – Brasil 1968" [C'era una volta il West] como membro da Gangue de Frank no trem.


Para Leone, ele trabalhou em "O Bom, o Mau e o Feio", embora o primeiro filme de sua fase de Almeria foi “Frente a Frente com os Pistoleiros/Um Caixão para o Xerife – Brasil – 1965” [Una bara per lo sceriffo) como pianista. Nesse meio Saturno Cerra encontrou sua verdadeira expressão, que, segundo ele, seu sonho, o que ele mais gostava de fazer, era: "Pendurar as pistolas, colocar o meu chapéu e andar a cavalo."

Em 2011, aposentou-se pacificamente em Sebreño. Foi homenageado no Primeiro Festival International Film Festival Western realizado em Almeria em 2011 ao lado de outros grandes nomes de sua época como: Antonio Pica, Dan Van Husen, Nicoletta Machiavelli, Craig Hill, Candida Lopez Sambrell [Esposa de Aldo Sambrell], Frank Braña, Edoardo Fajardo, Fabio Testi entre outros.

Ao longo de sua carreira deixou 86 trabalhos para o cinema e a TV e 14 Espaghetti Westerns considerando os dois produzidos no Brasil. Em Ribadesella había se convertido em um praticante habitual del golf e foi no campo de la “Rasa de Berbes”, donde seus amigos lhe presentearam com um chapéu Stetson para atender aos seus 90 anos.

SATURNO CERRA FILMOGRAFIA ESPAGHETTI WESTERN

Bruma Seca (Brasil 1960)
O Cabeleira (Brasil 1963) [Cenografia]
Frente a Frente com os Pistoleiros/Um Caixão para o Xerife (1965) "Una bara per lo sceriffo" [Pianista]
7 Pistolas para os MacGregor (1966) “7 pistole per i MacGregor” [Johnny MacGregor]
Johnny Yuma (1966) “Johnny Yuma” [Olho de Facão/ Cyclope]
Três Homens em Conflito (1966) "Il buono, il brutto, il cattivo" [Caça Recompensas]
Django Volta para Matar (1966) "Mestizo"
Bounty Killer, O Pistoleiro Mercenário (1967) "El precio de un hombre"
Joe Dinamite (1967) “Joe l'implacabile”
Sete Mulheres para os MacGregor (1967) “7 donne per i MacGregor” [Johnny MacGregor]
Era uma Vez no Oeste (1968) "C'era una volta il West" [Membro da Gangue de Frank no trem]
Sua Lei Era Vingança (1969) "I vigliacchi non pregano" [Padre]
Quando um Bravo Empunhou o Colt (1970) “Manos torpes”
Vente a ligar al Oeste (1972)
Ringo... Volta para Matar (1972) "Hai sbagliato... dovevi uccidermi subito!"


Título: O Cabeleira [Especificações]
Link: https://www.youtube.com/watch?v=fxFoNIUKX6A
Gênero: Cangaço/Ação/Western
Lançamento: 1963
País: Brasil
Duração: 86 min.
Diretor: Milton Amaral
Roteiro: Ody Fraga
Elenco: Lamartine Cardoso, Enoque Batista, Nelson Camargo, José Carlos, Yuri Caster, Ruth de Souza, John Doo, Francisco Egídio, Madalena Ferreira, Marlene França, Diva Lobo, Nelcy Martins, Nelson Teixeira Mendes, José Moreira, Diva Padoim, Milton Ribeiro...
Raridade extrema. Matriz: Qualidade A/V: Amarelada, mas assistível e audível (levar em conta que esta é única cópia que circula entre colecionadores). https://www.youtube.com/watch?v=fxFoNIUKX6A
O Cabeleira filme de 1963 é uma adaptação do romance regionalista homônimo do século XIX, do autor cearense Franklin Távora, que conta a história de Zé Gomes (o Cabeleira) e seu pai Joaquim Gomes, ambos precursores do cangaço do nordeste brasileiro, e suas desventuras por Pernambuco. É considerado uma das maiores obras do autor, além de uma das obras pioneiras no romance regionalista nordestino.
As filmagens se deram na cidade de Mococa, em São Paulo, e Arceburgo, em Minas Gerais.
Mais informações "O Cabeleira" em: Cinemateca

Homenagem: Saturno Cerra
Filme Bruma Seca [Brasil 1960]
R.I.P.

2 comentários:

  1. One of those unmistakable faces of the Spaghetti western genre that took many of us time to put a name to. Thankfully he was able to receive the honor he deserved in 2011 at the Almeria Film Festival. Gracia amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CERTAINLY TOM.
      You are absolutely right.
      I liked that actor.
      Unforgettable face.
      A lot of work but could add a lot of information here from Brazil in his biography that is not included in IMDB.NET.

      Excluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: