Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

21 junho 2010

TEMPO DE MASSACRE


“Le Colt Cantarono la morte e fu...Tempo di Massacro”
“Massacre Time - USA”
Produção Itália 1966
Locações: Elios Studios - Roma - Lazio
Direção: Lucio Fulci
Música: Lallo Gori (Coriolano Gori)
Interpretada por Sergio Endrigo “Man Alone”
Fotografia: Riccardo Pallottini
História: Fernando Di Leo
Duração: 95 min
Produtora: I.F. Produzioni Cinematografiche
Distribuição no Brasil: Cinearte - Century Vídeo

Franco Nero – Tom Corbett
George Hilton – Jeffrey Corbett
Linda Sini (Lynn Shane) – Brady
Giuseppe Addobbati (John MacDouglas) – Sr. Scott
Nino Castelnuovo – Jason “Juinor” Scott
Tom Felleghy – Murray
Rina Franchetti – Mercedes
Tchang Yu – Chinês atirador de dardos
Aysanoa Runachagua – Sonko
Roberto Alessandri – Capanga de Scott
Gino Barbacane – Capanga de Scott (roupa branca)
John Bartha – Carradine
Salvatore Borghese (Sal Borghese) – Capanga de Scott
Franco Cobianchi – Barman
Mario dionisi – Filho do fazendeiro
Franco Gulà - Velho Fazendeiro
Enrico Pagano - Barman
Romano Puppo - Capanga de Scott
Attilio Severini - Capanga de Scott e Franco Morici

Western Spaghetti violento que conta a história do pistoleiro Tom Corbett (Franco Nero) que após viver um ano em paz, tem que retornar para suas terras de origem com urgência a pedido de um amigo (Carradine). Ao chegar encontra seu rancho e suas terras dominadas pela família dos Scott.
Ao tirar satisfações com os Scott, um deles “Junior” (Nino Castelnuovo – esplendido neste papel) em represália, ataca sua modesta casa e mata sua mãe, porém seu irmão alcoólatra “Jeffrey Slim” (George Hilton) conta-lhe que o velho Tuckson Scott é seu pai. Corbett tenta então recuperar o que lhe pertence tendo que acertar contas com Junior, seu irmão adotivo que tem muita habilidade com o chicote, muitos capangas para lhe proteger e vive torturando os fazendeiros fazendo-os de presas para caçá-los com cães pela região. Uma boa atuação da dupla Franco Nero e George Hilton em seus papéis.
Cenas interessantes como a luta no Saloon na qual Tom Corbett é ajudado secretamente por um chinês atirador de dardos com uma sarabatana (Tchang Yu). A música de Lallo Gori é marcante no filme e fez muito sucesso na época. O filme teve grande sucesso de público em 1966 sendo comercializado na Europa como Django II (uma espécie de sequência de Django). Com a direção de Lucio Fulci em seu primeiro dos três westerns produzidos; Depois Viriam "Os 4 do Apocalipse" (I Quattro dell´Apocalisse - 1975) & "Sela de Prata" (Sella D’argento - 1978) ambos também na mesma linha de violência sendo o primeiro com Tomas Miliam e depois com Giuliano Gemma nos papeis principais audacioamente já no final de década de 70 onde o Western já estava extinto.
Este com a ajuda da boa história de Fernando Di Leo e a colaboração de Giovanni Fago como seu assistente de direção, registrou mesmo até um tímido “Retorno de Django” feito no mesmo ano por Sergio Corbucci, mas Fulci não quis roubar o nome do personagem de Corbucci. Só pegou o casaco de Clint Eastwood e vestiu Franco Nero. Não é de se estranhar a violência demasiada neste primeiro Grande Western de Fulci pois ele viria se tornar um mestre do Horror Italiano futuramente. Depois de tanta violência o fim é chegado com uma pomba branca voando deixando a mensagem de que a paz retornara para todos.

5 comentários:

  1. Gosto muito desse aí. Como se não bastasse um Franco Nero em plena forma, temos ainda o grande George Hilton num dos seus melhores desempenhos. A minha cena favorita é aquela em que Nero é chicoteado, só Fulci!

    ResponderExcluir
  2. O segundo que me marcou profundamente depois de I Vigliacchi non pregano. a interpretação de Castelnuovo com a cabeça pendendo para o lado não saía de minha cabeça. Sem falar quase nada ele roubava a cena. quando ouvia a voz de Sergio Endrigo cantando "A man alone" eu pulava da csdeira e gritava como se estivesse comemorando um gol.Grande Fulci.

    ResponderExcluir
  3. "Tempo de Massacre" foi muito cultuado no Brasil ainda mais na década de 80 quando a censura começou a liberar para a TV.
    A música é muito boa e será inesquecível.
    Esse filme remasterizado ficou muito bom.
    Imagens perdidas no Wildescreen foram recuperadas em versão Letterbox no Brasil.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom Tempo de Massacre, um dos grandes ciclos do spaguetti western Italiano, a musica do Sergio Endrigo muito ótima, e como disse o Aprigio da interpretação do ator Nino casteunuovo com um comportamento soberbo e malvado. valeu Edelzio um abraço do seu companheiro Luiz Carvalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo o Espaghetti Western de grande sucesso, sempre é complementado com uma boa trilha sonora e realmente este é um destes clássicos neste seguimento.
      Grato pela opinião e participação!

      Excluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: