Portal dedicado ao Espaghetti Western

Letras-Lyrics-Song-Sung-Espaghetti Western-História-Músicas-Entrevistas-Curiosidades-Pesquisa-Opinião-Atores Brasileiros no Espaghetti Western-Atualidades-Homenagens-Resenhas-Sinópses-Subtitles-Legendas-Filmes.

01 agosto 2012

"DJANGO UNCHAINED" DE TARANTINO NA PÓS-PRODUÇÃO

Quentin Tarantino terminou de filmar as principais cenas de "Django Livre" ou seria "Django Desacorrentado", que tem estreia prevista nos Estados Unidos para o Natal de 2012.
A notícia foi dada pela produtora Stacey Sher em sua página do Facebook. Ela também apontou que as filmagens duraram 126 dias e foram realizadas na Califórnia, Wyoming e Nova Orleans.
"Foi uma honra participar desta jornada épica com os melhores parceiros: meus companheiros produtores, o elenco inacreditavelmente brilhante, a equipe mais inspiradora e trabalhadora (para não mencionar mais divertida) todos reunidos pelo gênio e imaginação de Tarantino.
Pós-produção, aqui vamos nós! Django, nunca iremos te esquecer", escreveu Sher.
"Django" será o primeiro filme de Tarantino sem a montadora Sally Menke, que trabalhou na edição de todos os filmes anteriores do cineasta e morreu em 2011.

O filme estreia no Brasil em 18 de janeiro de 2013 Mais Divulgação/Sony Pictures .
A nova produção de Tarantino se passa nos Estados Unidos do século 19, dois anos antes da Guerra Civil. Jamie Foxx é Django, um escravo que acaba sendo libertado pelo caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Waltz).
Na trilha de dois criminosos, Schultz promete deixar o ex-escravo ir embora depois de capturar os bandidos.

Mas os dois seguem juntos em sua jornada e vão em busca dos criminosos mais procurados do sul dos Estados Unidos, enquanto Django permanece focado em encontrar e resgatar Broomhilda (Washington), sua mulher, de quem foi separado muito tempo antes. A busca de Django e Schultz acaba levando-os até Calvin Candie (Leonardo DiCaprio), o proprietário de uma plantação onde escravos são treinados para lutar uns com os outros.

Diante da ovação que recebeu dos fãs após exibir um clipe de oito minutos temperado com sua tradicional mistura de violência, humor negro e diálogos espertos, o diretor pareceu legitimamente aliviado: "Que bom que vocês gostaram", declarou, sem conseguir tirar o sorriso do rosto.

"Quando estava preparando o material para mostrar aqui e disse que queria exibir um clipe de oito minutos, os executivos do estúdio disseram 'Você ainda nem terminou as filmagens, por que não mostra só os quatro minutos de trailer?'. E eu disse "Não, isso é a Comic-Con e as pessoas vão ficar horas na fila para nos ver. Vou mostrar o que eu quiser. O que quer que seja bom para os fãs é bom para a indústria", afirmou, arrancando ainda mais aplausos das 6.500 pessoas que lotaram o Hall H do Centro de Convenções para uma sequência de painéis que inclui ainda apresentações de "O Hobbit", de Peter Jackson, "Pacific Rim", de Guillermo del Toro, e "Homem de Ferro 3".

Acompanhado dos atores Jamie Foxx, que interpreta um ex-escravo que se transforma em um caçador de recompensas em busca de vingança, e Christoph Waltz, o Coronel Hans Landa de "Bastardos Inglórios" que agora volta como um dentista habilidoso com armas de fogo, Tarantino explicou a ideia do filme, que descreveu como "uma das duas grandes aventuras de sua vida" ao lado de "Kill Bill".

"Amo os faroestes italianos conhecidos como 'spaghetti films', mas acho que já vi tudo que foi feito e quis fazer diferente. O germe inicial seria esse escravo que acaba virando caçador de recompensas e vai atrás dos fazendeiros brancos no Sul dos Estados Unidos nos tempos da escravidão, antes da Guerra Civil", explicou, destacando ainda o desejo de acrescentar uma trilha sonora bacana e uma pitada de surrealismo à história.


Leonardo DiCaprio, Kerry Washington, Quentin Tarantino, Jamie Foxx e Christoph Waltz participação de sessão de fotos de "Django Livre" em evento dos estúdios Sony, em Cancún (México) (15/4/2012)




"A parte irônica nisso tudo é que não pode haver nada mais surreal e assustador do que a realidade que aconteceu nesse período. É ela que se encaixa na minha história", disse.

Escalado para o papel do ex-escravo Django, Foxx concordou e revelou que usou parte de sua experiência de ter crescido no Sul dos EUA para injetar o sentimento necessário ao personagem principal. "Sei como é quando você é criança e é tratado como 'negrinho' por gente adulta a seu redor. Aconteceu comigo e acabei encontrando esses paralelos no papel."

Kerry Washington, que interpreta a mulher do personagem de Foxx, disse mais tarde a jornalistas que foi difícil lidar com a questão da escravidão. "A cena que mais foi difícil de fazer foi quando ela é algemada. Acabou comigo pensar que não faz muito tempo meus antepassados passaram por isso. Nós precisamos chegar ate o inferno do ser humano para conseguir fazer esse filme".

"Ele não é um filme para ser amado, é de uma história real que precisa ser contada e acima de tudo uma história de amor. Durante a escravidão, os negros nao podiam casar, eles eram vendidos. E de repente vem essa história mostrando que os negros podiam acreditar no amor. Quentin chorou em muitas dessas cenas e nós também, porque mostra uma realidade intensa e brutal, mas pelo seu lado humano", completou Washington.

Para Waltz, a dificuldade de seu papel desta vez era a dualidade do personagem. "Meu maior desafio nesse filme foi ser bom e mau ao mesmo tempo. Matei mais gente como um cara bom em 'Django' do que como um cara mau em 'Bastardos Inglórios'. E é difícil lidar com esses dois lados, principalmente olhando pelo lado maior da história", disse o ator a jornalistas .

Leonardo DiCaprio e Samuel L. Jackson também estão no elenco de "Django Livre", mas não participaram do evento de divulgação do longa na Comic-Con.

DJANGO EM QUADRINHOS DE TARANTINO

O cineasta Quentin Tarantino apareceu de surpresa antes de um painel da DC Comics na Comic-Con 2012, neste sábado (14 de Julho), para fazer um anúncio: A DC vai publicar uma série de cinco edições de uma história em quadrinhos baseada no filme "Django Livre", produção que Tarantino ainda está rodando e sobre a qual ele falou no mesmo evento nesta manhã.
A série deve ser lançada em novembro, mas ainda não há informações sobre quem vai escrever e desenhar. Tarantino afirmou que muitos de seus filmes têm bastante material de sobra e que transformar "Django" em quadrinhos permitiu contar sua história da forma original, sem cortes.
Estaremos anciosos aguardando.

Primeiro Trailer legendado do filme "Django Unchained"

3 comentários:

  1. Não sabemos qual o motivo do Tarantino usar como referência o tema do filme O Dia da Ira do Riz Ortolani, é um grande tema, mais não tem nada a ver com o Django do Corbucci de 1966, agora o tema da abertura tudo bem.

    Luiz Carvalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, mas as vezes a influência de uma música por ser muito conhecida acaba influenciando na divulgação e sucesso do filme, e se você prestar atenção, o fato de estarmos comentando isso é a divulgação do filme que estamos fazendo sem que saibamos disso.
      Curioso não?

      Excluir
    2. Isso Edelzio, depois que fiz esse comentário imaginei que o Tarantino provavelmente tenha uma grande afeição por esse belíssimo tema I Giorni Dell'ira, e como sempre dizemos os temas são espetáculo à parte e com respeito aos compositores dos western americano, mais é de deixar qualquer um de queixo caído.

      Luiz Carvalho

      Excluir

Crítica, Opinião e Sugestão - Escreva Aqui: